Fazer o que é o certo. Sua empresa se preocupa com isso? - SOGI
×

Fazer o que é o certo. Sua empresa se preocupa com isso?

Hoje existem diversas estratégias que definem o que é o certo, garantindo que sua organização se preocupa em seguir as diretrizes e requisitos exigidos, e ainda dá a certeza para o mercado e seus consumidores que você está fazendo o que é preciso.

Tenha um Sistema de Gestão eficiente

A certificação nas normas ISO é uma delas. Esta certificação é um processo no qual uma empresa é avaliada para ver se atende aos requisitos das normas correspondentes ao seu nicho de atuação. Ao obter a certificação da norma ISO, você atesta que oferece garantia e legitimidade a seu negócio segundo padrões internacionais.

Tecnicamente falando, possuir a certificação da norma ISO na sua empresa garante a conformidade, qualidade e segurança de seus produtos ou serviços de acordo com as regras de seu segmento, assegurando a eles eficiência e eficácia e também solidez para sua organização, gerando maior confiança na relação com o consumidor final e com o próprio mercado.

Significa igualmente que você irá melhorar os sistemas de gestão de sua organização, reduzindo riscos e evitando muitas perdas nos processos produtivos. Dessa maneira, você ganha competitividade em seu nicho de mercado em conformidade às regras técnicas.

Certificação ISO: demonstre compromisso com a Qualidade

É importante ressaltar que há várias vantagens de se ter um sistema de gestão eficiente. Uma delas é quando a eficiência do SG contribui na conquista da certificação. Uma vez, que a empresa possui a certificação ISO, significa que você passa a representar aquilo, o que você realmente oferece como produto ou serviços. Você agrega valor à sua marca, ganha boa reputação e também facilita a introdução de novos produtos no mercado.

Essa agregação de valor demonstra um compromisso com a qualidade do que você oferece, podendo transformar toda a cultura da sua organização e estimulando seus próprios colaboradores a buscar constantemente a melhoria contínua.

A certificação ISO também permite medir mais facilmente o desenvolvimento da sua empresa e assim melhorar a sua organização, os seus produtos ou os seus serviços aos olhos de seus clientes.

Entretanto, apenas obter a certificação da norma ISO não assegura todas estas vantagens. Muitas vezes, quando as empresas conseguem o certificado, acabam na verdade perdendo valor, simplesmente por não saber utilizar todos esses benefícios perante o mercado globalizado. Até porque hoje o mercado está se distanciando um pouco dessa questão de selo, seja ISO 9001, ISSO 14001 ou qualquer que seja.

Em 2015 tivemos uma revisão nas certificações ISO, justamente tendo esse foco, fazendo a norma passar a ter um papel mais direcionado para as tomadas de decisão. Por isso, a certificação ISO passou a ser considerada uma ferramenta estratégica do negócio.

Certificado ISO: não é mais importante do que seu Sistema de Gestão

Essa mudança aconteceu porque as empresas, nos últimos anos, passaram a descobrir que o selo não é mais importante que a gestão em si. Na verdade, é a gestão que faz o negócio ser sustentável, no sentido de que, caso ele tenha algum desvio ambiental por exemplo, esse desvio não se tornará uma conta impagável que leva ao fechamento do negócio. Grandes desastres que aconteceram recentemente são um ótimo exemplo disso na prática.

Pense no caso de Brumadinho. O desastre que aconteceu na Mina Córrego do Feijão é uma conta impagável. Independentemente do tamanho ou da força econômica da Vale, ela nunca vai conseguir pagar por todos os danos socioambientais advindos do rompimento da barragem. Os danos à vida humana ocorridos ali são incalculáveis, por mais que existam análises de risco que calculem o “preço de uma vida humana” em caso de desastres. Uma vida jamais terá um preço.

Um outro exemplo é Mariana. Também relacionado com o rompimento de uma barragem, ali aconteceram desastres ambientais que causaram impactos não só em Minas Gerais, mas também no Espírito Santo porque contaminaram rio, solo, destruíram fauna e flora chegando até ao Oceano Atlântico.  As consequências ambientais dessa catástrofe foram tão severas que vai levar anos para entender os reais efeitos de tudo o que ocorreu e implementar ações com soluções efetivas.

Quando esses impactos negativos sobre o meio ambiente e sobre vidas humanas são colocados em uma balança, a empresa (ou as empresas) envolvidas passam a ter um peso difícil de carregar.  Nesses casos, estamos falando da marca de uma organização, da sua imagem e da sua reputação perante o mercado, os consumidores e a sociedade como um todo, de multas, sanções e penalidades a que ela estará sujeita pelo impacto causado.

Tripé da Sustentabilidade

Todos esses pontos compõem o tripé da sustentabilidade. E hoje se fala tanto em ser sustentável que não é mais possível fingir que não se conhece o termo ou que ele não importante para uma empresa. Para todas as organizações, seja de qualquer porte ou segmento, deve ser analisada e avaliada a questão econômica, a questão ambiental e a questão social. Se qualquer um desses pontos estiver enfraquecidos, mais cedo ou mais tarde (e não será tão tarde assim) você quebra o seu negócio.

Intimamente ligado a esta ideia de certificação ISO e sustentabilidade está o compliance. Compliance é um termo que diz respeito ao cumprimento das leis, normas e regulamentos, tanto internos quanto externos, que regem uma organização, prezando pela cultura da ética e da integridade no relacionamento entre os colaboradores, gestores e stakeholders. Além de cumprir com normas legais, políticas e diretrizes, compliance também diz respeito a prevenir, detectar e remediar qualquer desvio ou inconformidade que possa ocorrer com uma organização.

Por que estar em Compliance?

Estar em compliance assegura que a empresa está cumprindo totalmente todas as imposições dos órgãos de regulamentação, dentro de todos os padrões exigidos de seu segmento. É imprescindível esse atendimento às leis, normas e requisitos aplicáveis à organização, porque processos com elevado nível de compliance acabam por ter resultados mais satisfatórios. Além disso, resultam em uma vantagem competitiva ante os concorrentes, bem como facilitam o acesso a linhas de crédito, valorizam a organização da empresa e fornecem melhor retorno dos investimentos aplicados.

Por outro lado, não estar em compliance traz sérios riscos para sua organização, como por exemplo sanções legais, perda de reputação, incluindo valor da marca e valor de mercado, e perdas financeiras, variando conforme a gravidade do que foi infringido, podendo ir de pagamento de multas até prejuízos por paralisação da atividade ou em casos mais graves, fechamento da empresa e falência.

Quer saber mais sobre Compliance e Sustentabilidade? Fale com um dos nossos especialistas em Gestão de Risco e Compliance!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *