risco e compliance – SOGI
×

Gestão de Risco Jurídico nas organizações

A gestão de riscos é o processo no qual riscos que possam causar danos ao projeto, às pessoas, ao meio ambiente e à imagem da empresa, são identificados e medidos para que sejam elaboradas estratégias para evitá-los, reduzi-los ou mitigá-los.

Quais empresas estão sujeitas ao Risco?

Todas as empresas e todas as atividades estão sujeitas a risco, seja por fatores e influências internas ou externas. Os riscos internos são aqueles que são as consequências da atuação da própria empresa, e os riscos externos referem-se aqueles que não estão sob controle da organização, como a variação cambial, variação das taxas de juros, aumento de impostos, mudanças nas legislações, mudança no mercado que a empresa atua, desenvolvimento de novas tecnologias, questões políticas e econômicas, catástrofes naturais, entre outros.

Para que uma empresa possa crescer de forma sustentável ela precisa necessariamente trabalhar estes riscos através de uma boa gestão de riscos, que permita lidar com as incertezas e com a probabilidade da ocorrência de um dano e suas consequências, avaliando-as para que as melhores decisões possam ser tomadas de forma antecipativa e preventiva, priorizando riscos que são mais prováveis que aconteçam ou os mais graves, considerando os custos também.

Neste caso, podemos denominar esse processo de gestão de risco jurídico, porque a base está na identificação, qualificação, quantificação e monitoramento das ameaças à “saúde legal” da organização. Com os riscos identificados, eles passam a ter relevância para a tomada de decisão, orientando estrategicamente o gestor a prevenir e/ou minimizar seu impacto no negócio.

Como funciona a gestão de risco jurídico?

E é de extrema importância saber identificar os mais diversos cenários que uma organização está passível de ter, de modo que ela possa identificar a quais riscos está exposta para traçar estratégias mais assertivas. Assim, evita-se que assim a empresa se submeta à consequências jurídicas negativas.

Mas como funciona a gestão de risco jurídico para as empresas? Qual a sua importância para um negócio? É exatamente sobre isso que vamos falar nesse artigo.

O que são riscos jurídicos?

O risco jurídico, ou risco legal, é aquele derivado do descumprimento real ou potencial das normas que incidem sobre uma determinada atividade ou conjunto de atividades, com impacto direto no resultado das empresas. Esse descumprimento pode ser total ou parcial, mas deve ser identificado para poder ser evitado ou mitigado.

O risco jurídico decorre por exemplo quando não se protege os ativos da organização, quando os contratos são mal redigidos, quando não há acompanhamento dos requisitos legais e das legislações aplicáveis à atividade ou quando não se considera as normas para garantir a saúde e segurança ocupacional.

Como as empresas podem se compreender seus riscos?

Para auxiliar e orientar quanto aos riscos jurídicos de um negócio, existe a norma ISO 31000:2018, cuja proposta tem mudado a cultura organizacional de muitas empresas, visto que essas organizações têm percebido que o custo benefício de uma mentalidade preventiva é muito mais vantajoso do que uma mentalidade de gestão de conflitos.

Basicamente, a ISO 31000 é a norma internacional para gestão de risco. Suas diretrizes foram atualizadas em 2018, substituindo a versão de 2009, para ajudar ainda mais as organizações em suas análises e avaliações de riscos, podendo ser aplicada à maioria das atividades de negócios, incluindo planejamento, operações de gestão e processos de comunicação. Essa atualização também deu um foco maior no papel de liderança que a alta gerência deve desempenhar para garantir que a gestão de riscos seja totalmente integrada em todos os níveis da organização.

Como realizar uma gestão de riscos jurídicos?

Se um fato é certeza é de que não existe negócio sem risco e todas as atividades de uma organização apresentam riscos. No entanto, eles podem ser evitados ou minimizados através de profissionais competentes e especializados em gestão de risco jurídico e no envolvimento de todas as áreas da empresa e de todos os seus colaboradores.

Para iniciar uma gestão eficiente que minimize os riscos, podemos citar como importantes a elaboração de:

  1. Código de conduta visando o Compliance;
  2. Contratos comerciais que ofereçam segurança jurídica;
  3. Diagnóstico de contencioso, ou seja, de tudo aquilo que possa ser objeto de contestação, disputa ou conflito de interesses;
  4. Criação de Planos de ação para minimizar passivos;
  5. Mapeamento de riscos; e
  6. Metodologia de riscos para ponderação dos valores.

Para que tudo isso ocorra é preciso estar consciente de que vai acontecer avaliação de documentos, verificação in loco da realização de praticamente todos os processos internos, entrevistas com os colaboradores e até mesmo a observação direta da execução das atividades.

Relatórios de Riscos e estratégias para melhoria

Após a análise documental e organizacional, são elaborados relatórios para indicar possibilidades de melhorias bem como as estratégias para atingi-las, de modo que estejam o mais próximo possível em sintonia com a organização e que possam ser utilizadas por todos os envolvidos na empresa.

Além disso, ao realizar uma gestão de riscos jurídicos, é importante ter em mente que ela é um processo contínuo, sujeito a atualizações, e não termina com a identificação inicial dos riscos. Por isso, reforçamos a ideia da necessidade de elaborar um bom plano de ação e de que todos da equipe estejam alinhados a ele para que não haja surpresas nem problemas no meio do caminho.

Por que fazer a Gestão de riscos jurídicos?

São inúmeras as vantagens em realizar uma gestão de riscos jurídicos em uma organização. De acordo com a Verde Ghaia, empresa há mais de 20 anos consolidada no mercado de assessoria e monitoramento de requisitos legais, sendo referência quando o assunto são sistemas de gestão, algumas dessas vantagens são:

  • Estar sempre ciente das possíveis consequências de um eventual não atendimento a cada uma das não conformidades identificadas.
  • Definir todas as ações prioritárias de atendimento.
  • Evitar prejuízos financeiros, operacionais e também da imagem de sua companhia.
  • Definir as prioridades de atendimento, evitando medidas corretivas desnecessárias aos métodos da empresa.
  • Fazer o direcionamento adequado de tratativa dos desvios identificados, o chamado Due Diligence, que apresenta todos os itens da análise de risco jurídico complementado por pareceres e sugestões de adequação para solucionar cada um dos desvios identificados na empresa.
  • Melhorar o desempenho e a resiliência do sistema de gestão.

Portanto, a gestão de riscos jurídicos, orientada pela norma ISO 31000:2018, é essencial para aperfeiçoar as técnicas de gestão e garantir a segurança no local de trabalho em todos os momentos, melhorando a eficiência operacional, a governança e a confiança das partes interessadas, minimizando perdas e estabelecendo uma base sólida para a tomada de decisões e para uma gestão proativa em todas as áreas da empresa.

Fale conosco e implemente uma gestão de riscos eficiente!

Sistema de Gestão nos dias atuais – Deivison Pedroza

Nesses 20 anos de Verde Ghaia, foram várias vezes que ouvi empresas falando sobre sensibilização ambiental, relacionando-a às discussões dos sistemas de gestão. Diferentemente dessas organizações, eu não tenho esse mesmo olhar, visto que a sensibilização, treinamento ou conscientização, seja qual nome se deseja dar, é um processo inerente a todos os colaboradores da organização.

Contudo, é importante que as organizações também compreendam a relação do seu SGA com a qualidade e saúde e segurança, pois acredito serem ‘sine qua non’ nas questões empresariais.

Eu entendo que dentro de um sistema de gestão empresarial, os colaboradores são as sementes. Se forem sementes bem plantadas, consequentemente colhermos frutos maduros e em bom estado. Em outras palavras, quando estamos atentos a importância do gerenciamento da gestão, conseguimos conquistar nosso produto conforme, padronizado, com tudo especificado, tudo que a gente imagina ser necessário, importante e viável.

Sistema de Gestão e Compliance: dois temas que se completam

É comum que as empresas queiram dividir os temas da Gestão, rotulando meio ambiente, saúde e segurança e qualidade, visando facilitar o gerenciamento dos processos internos. Contudo, as organizações devem se preocupar com um tema essencial para gestão: a Qualidade, pois não conseguimos escalar vendas, sem qualidade do produto, correto? Mas, se tornar apenas escalável, também não dá.

Desse modo, as organizações precisam avaliar o ciclo de vida de seus produtos, os aspectos e impactos ambientais, visando a sustentabilidade do negócio. Mas, não é só falar que é sustentável. Costumo dizer que há até bancos que se vendem como sustentáveis, mas não são! 

Afinal, o que é ser sustentável?

Para ser sustentável, é preciso enxergar os valores econômicos, sociais, ambientais. Além disso, é preciso que as empresas tenham discurso sobre os riscos e como o sistema de gestão empresarial é abordado principalmente, em época de crises.

É nesse momento que a ISO aparece, promovendo estratégias mais ágeis e com menos recursos, pois dentro do ponto de vista de gestão, a padronização, a inovação, a prevenção, as ações corretivas, resultam numa maior capacidade de prover informação sólida e segura, padronização de processos, aumento da satisfação do cliente interno e externo. Exemplificando, imagine a Gestão financeira, obviamente que sem dados, sem números nas mãos, você não consegue decidir. E isso, aplica-se a qualquer área, por exemplo a área industrial, quando você precisa especificar alguma coisa; na área de manutenção, quando é preciso determinar até itens de manutenção críticos ou não críticos.

ISO: busca pela evolução dos processos com foco em qualidade e meio ambiente

A ISO não quer apenas produção em série, como era na Revolução Industrial, ao contrário, busca-se por melhorias que possam oferecer o melhor produto final, atendendo às expectativas e necessidades dos produtos finais. Um exemplo classifico de atendimento às necessidades, é o carregador de celular, quando você viaja, você quer que seu carregador se encaixe em qualquer lugar. Porém no Brasil, isso não acontece, porque as tomadas não são padronizadas. Precisamos até hoje, comprar os famosos “T” ou “Benjamin” para usar um eletrônico.

Tudo em nossas vidas há um padrão, uma especificação. O produto deve ser padronizado, conforme estabelecido pelo modelo de padronização da ISO. Em outras palavras, são normas técnicas internacionais que estabeleceram regras para produtos. Desse modo, independentemente, do lugar que eu esteja no mundo, os produtos irão funcionar.

Então padrão ISO, na 9000 ISO, na 14001, ele é simplesmente padronização dos produtos/serviços. Essa relação, entre as normas, deve ser discutida internamente na organização, pois elas se complementam e geram melhores resultados estratégicos para as organizações.

Comportamento das organizações

As empresas quando não conseguem entender a importância de um Sistema de Gestão, elas preferem extinguir as áreas de qualidade, de gestão ambiental e cortando os custos com a alegação de que é caro manter a gestão ambiental, gestão da qualidade, gestão da saúde e da segurança, gestão da responsabilidade social.

Atitudes assim, ocorrem principalmente em época de crise. Contudo, a ISO não é cara. Por exemplo, uma empresa de cimentos, deve ter um budget de aproximadamente 30 a 40 mil por ano, para manter uma ISO, só o certificado. No entanto, o caro será não cumprir a lei, não garantir padrões de especificação. Quanto uma empresa de cimentos não gastaria com multas e sanções ambientais? O valor é incalculável, pois estamos falando, não apenas de dinheiro, mas, de reputação da marca, perda de mercado, perda de fornecedores.

Portanto, é inquestionável o investimento em um SGI que preze pelo cumprimento das regras estabelecidas pela ISO, mas que também faça cumprir as Leis estabelecidas. A partir desse entendimento, percebe-se que é muito mais barato investir em 1 ou 2 milhões para cumprimento de leis, condicionantes, padronização ISO, do que ficar concertando bagunças, muitas vezes, incalculáveis.

Posicionamento das Organizações

Costumo dizer que o responsável pela ISO, em uma organização, é quase que a secretária. Ele simplesmente organiza toda a documentação para dar um norte, ou seja, apontar os erros, os acertos, os riscos, as oportunidades.

A Política de meio ambiente e qualidade são cobrados pelos clientes, eles exigem produtos e/ou serviços que tenham padronização e exigem a qualidade daquilo que está sendo oferecido. Esse comportamento, já é esperado dos clientes, já está enraizado na nossa cultura. Porém, está sendo instaurado um novo comportamento na sociedade, visto os diversos problemas ambientais. E, com isso, os clientes passam a cobrar das organizações mais responsabilidade ambiental.

Contudo, a mudança de comportamento social, gera um novo posicionamento organizacional, ou seja, uma nova discussão sobre como se posicionar para a sociedade com mais transparência, ética e com propósito, adequando-se às transformações sociais. 

É claro que a corporação, o dono, os sócios e/ou os acionistas, têm um propósito maior que, normalmente estão associados a como manter a empresa por mais 40, 50 anos, questionando se é o momento adequado para se crescer num mercado de ações, se é a hora de fazer fusão, se é a hora de aquisição, de joy venture.

Vantagens do Sistema de Gestão

Quando se gerencia um sistema de gestão, ele te oferece muitas vantagens. Há países, como a Colômbia, por exemplo, que só vende/compra de quem tem ISO implementada e certificada. Diferente no Brasil, visto que as vantagens ainda não são tão claras, de um modo geral, há vantagens específicas.

As empresas precisam entender, no entanto, que não são os custos que devem ser discutidos, mas sim, o que está sendo prevenindo e o quanto estou economizando com o investimento feito para manter a certificação ISO, bem como o gerenciamento dos sistemas de Qualidade, Meio Ambiente, Saúde e Segurança. Outro ponto importante, para que esse discurso do custo possa mudar, é a comunicação entre as áreas.

Organizações precisam mudar seu mindset

Os gerentes de SGQ, SGA e SSO precisam manter a comunicação entre as áreas do financeiro, administrativo, de modo que todos deixem claro os gastos ocorridos com multas, sanções, retrabalho, corretivos. São esses dados que farão diferença para a Alta Direção compreender a importância de se investir num sistema de gestão que gere indicadores com dados assertivos para tomada de decisão.

Outro questionamento, ou melhor, comparativo, que as organizações precisam entender e visualizar, são os dados reais de retrabalhos que já ocorreram, tais como, o valor gasto no ano de empregados acidentados e afastados; a interdição de empreendimentos por falta de documentação não revalidada; descumprimento de uma lei que resultou em gastos excepcionais.

É o Gestor do Sistema de Gestão ISO, que vai apontar o que precisa ser feito e ainda ajudar a organização a compreender como deve ser feito e quais leis a empresa precisa cumprir para evitar penalidades e crescer de forma saudável.


Deivison Pedroza – Fundador e CEO do Grupo Verde Ghaia

Procedimento de avaliação de Riscos e Oportunidades

Não há modo de gerenciar uma empresa sem adotar procedimentos para preservar a saúde e a segurança do trabalhador. E isso, não apenas por questões de conformidade legal, mas principalmente em virtude de precaução com os colaboradores da organização.

Por esse motivo, toda organização, por menor que seja, deve implementar algum tipo de procedimento interno para a avaliação dos Perigos e Riscos levantados pela equipe de sistema de gestão com foco em Saúde e Segurança do trabalhador.

Como avaliar os Perigos e Risco em SSO?

O Módulo PRSSO (Perigos e Riscos da Saúde e Segurança Ocupacional) do SOGI oferece uma configuração no sistema capaz de fazer uma associação entre os procedimentos internos da empresa e os respectivos perigos e danos que ali podem se apresentar.

Para conquistar um bom sistema de gestão da SSO, é preciso haver envolvimento de 100% dos trabalhadores da organização. Além disso, para que seu sistema de gestão em SSO funcione, é necessário haver um trabalho paralelo, que envolverá principalmente aspectos práticos do dia a dia do trabalhador.

Salientamos, no entanto, que os procedimentos devem envolver a responsabilidade de todos da organização, sem exceção. A falta de envolvimento e de descumprimento com os requisitos legais aplicáveis a gestão em SSO, pode favorecer os perigos e riscos no ambiente de trabalho. De acordo com o Instituto Nacional de Seguridade Social (INSS), em 2017 foram concedidos cerca de 22 mil benefícios acidentários a trabalhadores que precisaram se afastar do trabalho por mais de 15 dias devido a algum tipo de doença relacionada a LER (Lesões por Esforços Repetitivos) ou Dort (Distúrbios Osteomusculares Relacionados ao Trabalho). Isso representa 11,19% de todos os benefícios concedidos. [01]

Saúde e segurança do seu colaborador não é brincadeira! Gerencie com cuidado seu SSO, use ferramentas focadas em gestão e análise de perigos e riscos como o SOGI PRSSO.

SSO – Medidas para serem adotadas

Veja abaixo algumas medidas que você pode adotar na sua empresa:

  • Realize eventos pontuais para informar sobre a importância na prevenção de acidentes e cuidados com a saúde. Esses eventos devem envolver absolutamente todos da empresa e devem conter informações práticas e que possam ser adotadas com facilidade.
  • A prevenção de acidentes é uma ação coletiva. Muitos acidentes são causados devido ao excesso de confiança, de negligência, de imprudência e de imperícia por parte dos funcionários.
  • Em todo caso, é sempre interessante formar uma comissão, a qual estará atenta quanto à segurança e saúde de todos os colaboradores e poderá auxiliar na realização de eventos sobre a importância da prevenção de acidentes e cuidados com a saúde.
  • Crie na sua equipe a consciência de que todos estamos sujeitos a imperícias. Uma breve busca na internet mostra que acidentes de trabalho (muitas vezes fatais) ocorrem com frequência e que sempre há casos recentes sendo noticiados. Em sua maioria são trabalhadores como eu e você, que saíram de casa sem imaginar que iriam se deparar com uma fatalidade.
  • Crie uma Comissão Interna de Prevenção de Acidentes (CIPA). De acordo com a lei, a CIPA se faz necessária em empresas que tenham mais de 20 funcionários ou que exerçam atividades perigosas.
  • Tenha uma gestão à vista, com dicas que falem desde a prevenção de acidentes a assuntos sobre ergonomia. E sempre que for possível, trabalhe com a percepção visual dos seus colaboradores, deixando placas com avisos, imagens ilustrando como levantar caixas ou agachar para pegar objetos no chão, etc.
  • Forneça condições adequadas. Não basta conscientizar suas equipes se a empresa não fornecer condições adequadas para o cumprimento de todas as normas de segurança.
  • Sempre forneça EPIs e EPCs em estado adequado, e mantenha em dia a análise das condições físicas dos ambientes laborais, bem como estudos de ergonomia e a identificação e mitigação de perigos e riscos.

Atenção à legislação

Quanto mais NRs o sistema de gestão de SSO atender, mais completo ele será. E os prazos legais devem ser cumpridos à risca, até mesmo para evitar multas e custos desnecessários.

Portanto, é importante que a organização saiba realizar a identificação, avaliação e monitoramento de quaisquer perigos e riscos de acidentes, incidentes e doenças ocupacionais,  sejam eles físicos, psíquicos ou emocionais — e sempre levando em conta o contexto de cada organização. Agindo assim, as empresas conseguem mais controle sobre os perigos e riscos que envolvem seus colaboradores.

Matriz de Perigos e Riscos: como realizar?

Para ajudar no monitoramento de um Sistema de Gestão com foco em SSO, a Verde Ghaia desenvolveu o Módulo PRSSO do SOGI. Através desse sistema, você terá como registrar e avaliar a sua matriz de perigos e riscos, identificando os principais riscos e ainda avaliar a significância dos perigos e de seus controles operacionais. Desse modo, é possível criar e gerenciar planos de ação voltados ao cumprimento das exigências práticas e legais, visando assegurar a saúde de seus colaboradores.

Oferecer condições de trabalho dignas ao colaborador é tão importante quanto monitorar o atendimento às obrigações legais. Portanto, o ambiente de trabalho – onde costumamos passar a maior parte do nosso tempo -, não poderia ser negligenciado.

Sendo assim, toda empresa deve adotar um sistema de gestão da saúde e segurança ocupacional, não apenas para cumprir a legislação, mas também para proporcionar o melhor ambiente aos seus colaboradores.


Como incrementar novas tecnologias na Gestão Empresarial?

O mundo se desenvolve constantemente e muitas tecnologias são criadas para que haja facilidade no funcionamento de uma empresa. A aplicação de novas tecnologias na gestão de um empreendimento é essencial, para que a mesma esteja sempre em destaque no mercado.

A inovação está de maneira constante em todo o mundo. E não pode ser diferente dentro de uma empresa. Em que na década de 90 mesmo, não existia alguns meios de comunicação como e-mails, redes sociais, internet e marketing digital.

Então adquirir um produto era limitado, pois só se conseguia realizar a compra se fosse a loja ou empreendimento para efetuar a compra. Nos dias atuais, é possível adquirir qualquer tipo de produto sem sair do conforto de sua casa, basta dar alguns cliques e pronto, a compra é efetuada com sucesso.

E não só para efetuar compras a inovação entrou em questão, mas também a tecnologia auxilia a grande maioria senão todas empresas a se desenvolverem e a terem melhor meios de organização e enriquecimento de informações.

Para que você saiba mais sobre essas novas tecnologias na gestão de uma empresa, preparamos este artigo, para que você entenda melhor os benefícios que se pode obter com uma gestão eficiente e quais ferramentas são mais utilizadas atualmente.

Benefícios das novas tecnologias na gestão

Buscar novas maneiras de gestão que se insiram novas tecnologias é de extrema importância para otimizar e melhorar o desempenho de toda empresa. E então se consegue aumentar a produtividade tenha um produto final de qualidade para seus clientes.

Além de oferecer um ambiente mais inovador para todos os colaboradores. Então saiba os benefícios que se pode alcançar com tecnologias sendo favoráveis ao desenvolvimento de seu empreendimento.

Redução de custos

Quando se investe em tecnologias para o desenvolvimento da empresa, você consequentemente reduz gastos, pois é possível ter maior controle de estoque, matérias primas, a verificação e analise da produção e uma gestão financeira mais eficiente e seguro.

Melhorias no resultado

Os resultados conseguem ser otimizados se a gestão e uso de tecnologias forem eficientes. Pois os colaboradores conseguem desempenhar de forma correta os seus afazeres com auxilio de ferramentas capacitadas e evoluídas para o bom desenvolvimento do empreendimento.

Então com eficiência no atendimento, resolução de problemas e organização de dados é possível fazer com que toda a empresa se desenvolva e tenha melhorias no resultado.

Atendimento e relacionamento com cliente

Todas as empresas precisam de clientes para que o funcionamento seja realizado. E melhor ainda, se você consegue deixar o cliente satisfeito, ele irá se fidelizar, procurando sempre pelos seus produtos quando precisar.

E ainda sim, indicar o produto para outras pessoas. E para que você consiga conquistar esse cliente para sua empresa, é necessário manter ou iniciar um bom relacionamento com o mesmo.

Pois hoje em dia, há canais que auxiliam a comunicação entre empresa e cliente. Em que é possível saber quem são os potenciais clientes dentro do público-alvo e estreitar o relacionamento com ele.

Para que o mesmo veja que sua empresa tem compromisso e seriedade com seus consumidores. Por isso é eficiente ter um meio de comunicação mais facilitado entre cliente e empresa, para que aconteça a fidelização do mesmo.

Flexibilidade

Uma empresa que investe em novas tecnologias na gestão, consegue ter mais flexibilidade aos eventos que se possa acontecer. E assim conseguir se adaptar a mudanças que acontecem o tempo todo.

Inovar sempre

Se a empresa está enfrentando dificuldades para resolver os tipos de processos que aparecem, é um indicativo de que as ferramentas de gestão não estão sendo mais eficientes como antes.

Então torna-se necessário inovar e investir em novas tecnologias para que a gestão de sua empresa seja sempre eficaz.

Tecnologias na gestão empresarial

Em uma empresa se torna necessário preparar para acompanhar o desenvolvimento de seus colaboradores. Em que os mesmos estão acostumados a ter informações com agilidade e rapidez de alguns cliques.

Então torna-se necessário adaptar a gestão da organização e de pessoas em seu empreendimento, para que a empresa esteja sempre inovando e auxiliando seus colaboradores a terem mais conhecimento sobre o negócio.

Por isso conheça algumas aplicações de novas tecnologias na gestão que são eficientes a seguir:

  • Cloud e SaaS:
  • O Cloud é solução de software que tem infraestrutura para eliminar a preocupação de instalação e manutenção de equipamentos e hardware. Já o SaaS, é um conjunto de soluções para os serviços Cloud, em que o SaaS atualiza e faz manutenções automaticamente dos softwares, deixando-os eficientes.
  • Big Data:Esta ferramenta consegue organizar uma quantidade muita grande de dados complexos e de informações para que seja possível analisa-las sem muita dificuldade. A ferramenta grava informações de interações com usuários.

E essas informações podem auxiliam a empresa a conhecer mais os gostos de cada tipo de cliente e fazer com que o relacionamento entre empresa e cliente seja eficaz.

  • Mobile:Esta tecnologia é muito utilizada entre todas as pessoas e colaboradores de empresa. Em que fazem uso de smartphones para se obter informações em tempo real com apenas alguns cliques.

E como a maioria das pessoas já possuem acesso a este tipo de tecnologia. É necessário investir em formas de trazer para a empresa o uso destes aparelhos de forma positiva.

Considerações Finais: Tecnologias na Gestão Empresarial

Então, todas as pessoas responsáveis direta ou indiretamente na empresa, devem entender as ferramentas e inovações da tecnologia são implementadas pelo empreendimento, fazendo com que o negócio seja sempre visionário e atenda as tendências do mercado.

A aplicação de novas tecnologias na gestão de empresas e pessoas, se torna extremamente necessária para que o seu empreendimento desenvolva conforma o mercado atual caminha. Invista para ter o crescimento de seu negócio.

SOGI: a melhor ferramenta de Gestão para utilizar na sua empresa

Para quem deseja transformar a sua empresa, fazendo-a crescer e se destacar no mercado, utilizar uma ferramenta de sistema de gestão e monitoramento de requisitos legais aplicáveis é fundamental.

Hoje o volume de informações disponíveis é gigantesco, as transformações acontecem a cada segundo, as coisas se tornam obsoletas em uma velocidade alarmante e o mercado está cada vez mais competitivo. É impossível sobreviver a esse cenário, se você não tiver à sua disposição uma ferramenta que dê a segurança necessária para tomadas de decisão assertivas e que garantam a eficácia das ações desenvolvidas.

Analisar sua Gestão de Forma Integrada

No mercado existem várias opções disponíveis. Mas a maioria não permite analisar sua gestão de forma integrada e ao mesmo tempo detalhadamente em cada área específica, nem utiliza a última geração de tecnologia existente no mundo e muito menos contém o maior banco de dados de legislações, sendo atualizado constantemente para que absolutamente nada passe despercebido em sua empresa.

Todos esses pontos são essenciais para uma gestão de sucesso. E onde você encontra tudo isso e muito mais?

No SOGI. SOGI significa Software Online de Gestão Integrada, e é considerado uma das melhores ferramentas existentes hoje, no mercado, possibilitando que a empresa esteja em compliance através do controle de legislações em áreas de qualidade, saúde e segurança, meio ambiente e responsabilidade social.

O SOGI foi desenvolvido através de metodologias próprias da Verde Ghaia, empresa que há 20 anos é referência nacional quando o assunto são sistemas de gestão. Através do SOGI, você obtém soluções eficientes que visam fornecer processos mais ágeis de monitoramento e gerenciamento de requisitos, possibilitando também tratar de maneira adequada as não conformidades. Se uma empresa deseja alcançar a sustentabilidade empresarial de seu negócio, sem dúvida o SOGI é a escolha certa.

O que SOGI oferece a sua Gestão?

Mas, por que afinal, o SOGI pode ser considerado a melhor e mais moderna ferramenta de sistema de gestão e monitoramento de requisitos legais aplicáveis existente hoje no Brasil?

Como o SOGI pode ajudar a transformar o seu negócio? Quer saber as respostas? Então continue a leitura, pois nesse artigo vamos falar especialmente sobre isso.

Quais os principais objetivos do SOGI?

Atuando como uma ferramenta de sistema de gestão e monitoramento de requisitos legais aplicáveis, o principal objetivo do SOGInada mais é do que oferecer soluções eficientes em tempo real para promover, agilizar e facilitar a gestão dos negócios, de forma a minimizar riscos e prejuízos bem como otimizar processos e garantir que a empresa esteja em compliance. Isso só é possível porque o software é totalmente alinhado às normas internacionais de certificação ISO.

O SOGI também permite fazer tratamentos de não conformidades, mapear as penalidades legais, podendo priorizar a sua matriz de risco através desse indicador e elaborar planos de ação com gráficos e planilhas bem detalhadas, disponibilizando itens essenciais que influenciam na assertividade das tomadas de decisões.

Caso a empresa tenha uma certificação internacional, como a norma ISO, ou deseja ter, o SOGI facilita cumprir todos os requisitos exigidos, pois ele pode ser utilizado para fazer a gestão de normas internacionais, possibilitando que elas sejam um diferencial para o sucesso do seu negócio.

Além disso, para que a empresa analisada esteja sempre um passo à frente de seus concorrentes, há a possibilidade de fazer, através do SOGI, a verificação de índices de sustentabilidade, diretamente ligada à metodologia do Prêmio Compliance Brasil.

Neste evento participam somente as maiores e melhores empresas do Brasil que buscam a excelência de sua gestão através das certificações internacionais, do cumprimento da legislação aplicável ao seu negócio e da implantação de ações que promovam a melhoria contínua de seus processos, produtos e serviços.

Vantagens e benefícios que uma empresa com o SOGI

Através da ferramenta de sistema de gestão e monitoramento de requisitos legais aplicáveis o empreendedor passa a ter uma noção mais ampla do seu próprio negócio, permitindo uma visão integrada de toda a empresa e também o cumprimento de cada um dos requisitos a que sua atividade está sujeita. E o gestor, caso queira, recebe uma interpretação e análise da legislação, evitando a perda de tempo em procurar por atualizações da lei ou a compreendendo. 

 Com o SOGI você sempre terá planilhas e gráficos à sua disposição em tudo o que fizer, sem risco de estarem corrompidas ou com dados que podem ter sido sabotados, como é o caso de uma planilha de Excel. E há a opção de gerar relatórios de maneira muito simples e fácil.

Algumas outras vantagens do SOGI em relação a qualquer outra ferramenta de gestão são:

  • Não há necessidade de uma estrutura de TI em sua empresa para utilizar a plataforma.
  • O acesso é online, não sendo preciso instalar nenhum programa nos computadores da sua empresa. Basta ter acesso à internet para acessar o SOGI quando você quiser;
  • Alertas e suporte rápido para sua equipe sempre que julgar necessário, pois os consultores da Verde Ghaia resolvem suas dúvidas rapidamente e no momento que você precisar.
  • Caso a sua empresa tenha unidades corporativas, há a possibilidade de integrar mais rapidamente as unidades corporativas.
  • Não há limite de cadastramento de usuários no SOGI. Podem ser cadastrados quantos forem necessários, desde que eles sejam colaboradores da sua empresa. Além disso, cada usuário pode ser cadastrado com diferentes hierarquias de perfis de acesso. E estes são totalmente configuráveis.
  • E absolutamente tudo que é registrado no SOGI é totalmente seguro e sigiloso.

Além disso tudo, uma das principais diferenças e vantagens de utilizar o SOGI é o uso de Big Data, que possibilita transformar um grande conjunto de dados que estão separados em informações, e estas, por sua vez, são transformadas em conhecimento e este conhecimento é utilizado para tomar decisões.

Os Módulos do SOGI

Para facilitar ainda mais a gestão, o SOGI é dividido por módulos, que podem ser contratados individualmente, de acordo com as necessidades da sua empresa, ou em conjunto, permitindo o monitoramento e o gerenciamento do seu sistema de gestão de maneira integrada e completa.

MÓDULO LIRA: LIRA significa Lista Interna de Requisitos Aplicáveis. Tem por objetivo fazer o monitoramento dos requisitos legais aplicáveis à sua organização e gerenciar planos de ações, para melhorar o atendimento desses requisitos. O banco de dados com as legislações é atualizado diariamente, facilitando que a empresa esteja em compliance.

MÓDULO AUDITORIA: Com este módulo você pode programar auditorias internas e externas, registrando as informações e gerando relatórios automaticamente com todas as informações e comparativos dos processos e procedimentos da sua empresa. Assim é possível analisar se existe algo para modificar ou melhorar.

MÓDULO GAIA: O Módulo Gaia (Gerenciamento de Aspectos e Impactos Ambientais) permite que você gerencie todos os aspectos e impactos ambientais da sua organização. Você pode registrar todos eles e realizar uma avaliação desses impactos, bem como construir planos de ação para melhoria e adaptação das exigências legais.

MÓDULO PRSSO: O Módulo PRSSO (Perigos e Riscos da Saúde e Segurança Ocupacional) foi desenvolvido para auxiliar a identificar, avaliar e monitorar os perigos e riscos de acidentes, incidentes e doenças ocupacionais, por atividade, processos ou áreas, sejam eles físicos, psíquicos, emocionais, presentes ou futuros, considerando o contexto da sua organização.

MÓDULO TNC: O Módulo TNC (Tratamento das Não-Conformidades) auxilia no monitoramento e controle de todas as etapas que compõem o tratamento das não-conformidades identificadas em sua organização, processo, produto, acidentes e incidentes, auditorias internas e externas, possibilitando que você tome ações corretivas e preventivas de maneira fácil e segura.

MÓDULO GRC: O Módulo GRC (Governança, Riscos e Compliance) visa identificar/registrar, avaliar e monitorar todos os riscos e oportunidades ligados a seu negócio, auxiliando você a prevenir multas, interdições, paralisações da atividade, perda de reputação e até perda de capital e de mercado, como também ajuda a aumentar a confiança e a atratividade dos investidores e financiadores, reduzindo o custo de capital e aumentando o valor de mercado da sua organização.

MÓDULO ADMINISTRATIVO: Este módulo foi desenvolvido para gerenciar os acessos e as operações realizadas pelos usuários de maneira fácil e clara. Esses usuários podem ter acesso, por exemplo, única e exclusivamente àqueles requisitos que se aplicam à sua atividade ou à sua tarefa, garantindo maior segurança das informações.

MÓDULO LICENÇAS: O Módulo Licenças e Condicionantes tem como objetivo principal fazer a gestão de prazos e documentos da atividade da sua empresa, permitindo um controle detalhado das obrigações das leis.

MÓDULO CORPORATIVO: O Módulo Corporativo é ideal para quem possui unidades corporativas e precisa manter e monitorar os mesmos padrões de qualidade e de atendimento em todas elas, de maneira fácil, simples e num único local. Ele fornece gráficos corporativos e dados históricos dos indicadores de atendimento das unidades

MÓDULO DOCUMENTOS: Este módulo realiza toda a gestão dos documentos da empresa, permitindo total controle de tudo o que é necessário para o funcionamento regular do seu negócio, organizando o controle de datas, versões e aprovações de toda a papelada.

Considerações Finais

E ainda tem muito mais! São tantas vantagens e benefícios que em um artigo só não é possível falar sobre todos eles. Mas, se quiser ter mais informações e entender como o SOGI oferece praticidade, segurança e confiabilidade na sua gestão, fale conosco!

Com o SOGI ele proporciona melhorias na transformação de seu negócio, para que seu negócio cresça de forma sustentável e se destaque no mercado.

Acesse nosso Blog e fique por dentro das novidades sobre o SOGI.

Verde Ghaia sempre pioneira em suas iniciativas

É um fato que a Verde Ghaia sempre foi pioneira em todas as suas iniciativas. E isto sempre refletiu no desenvolvimento dos softwares e na criação de produtos e serviços inovadores.

Como exemplo disso, podemos citar o VG Resíduos, plataforma de mercado de resíduos sólidos e o SOGi, plataforma de monitoramento de requisitos legais, que lá pelos idos de 2001 já funcionava totalmente online, numa época em que muitas empresas ainda trabalhavam somente com redes internas.

E mesmo com o passar dos anos, a Verde Ghaia continuou em sintonia com a inovação e com o avanço das tecnologias, mantendo-se fiel ao lema: “nunca paramos de evoluir”. E para confirmar essa sintonia, cada vez mais forte, a Verde Ghaia em seu vigésimo aniversário, não poderia ter outro tom!

Posicionamento da Verde Ghaia

Com um perfil sempre a frente do mercado, acreditando que as diferenças podem e devem ser somadas, a Verde Ghaia se posiciona claramente quanto a sua visão, missão e valores, comportando-se de forma transparente, ética e idônea.

E com o intuito de divulgar seu posicionamento, os colaboradores criaram vários materiais, divulgando suas iniciativas empreendedoras e os resultados gerados nestes 20 anos de mercado. Vale a pena conferir alguns dos nossos materiais no Blog da Verde Ghaia. Mas não para por aí!

Em 2006 foi criado o Aluno Web, mais uma das iniciativas da Verde Ghaia em querer compartilhar o conhecimento adquirido pelos Colaboradores através da teoria e da prática. E para ir além dos Cursos EAD, foi criada a “Semana Webinar Verde Ghaia”.

Essa semana é marcada por conteúdos interessantes sobre os mais diversos assuntos. Nesse ano de 2019, a Semana foi marcada por assuntos ligados a tecnologia, gestão e sustentabilidade. Conferia nos links abaixo a programação do Webinar dos 20 anos. Está imperdível!

E atenta às atualidades como ela só, a Verde Ghaia também criou seu canal no Spotify! Isso mesmo! Um canal para você reunir os melhores áudios de seus cursos de capacitação e ouvir em qualquer lugar e quando quiser.

Aos clientes e Colaboradores

Chegar aos 20 anos no mercado brasileiro não é tarefa fácil, mesmo investindo em tecnologia e buscando pela inovação, de nada adiantaria se não fosse o nosso cliente e os nossos colaboradores.

Por isso, estendemos aqui, as homenagens aos clientes que fazem parte do nosso crescimento. São eles que nos incentivam a crescer e buscar pelo que há de melhor. Agradecemos assim, a todos os nossos clientes, que fazem parte desse momento tão especial. E também aos nossos colaboradores, somos agradecidos por vestirem a camisa e se dedicarem com afinco e com amor à profissão que vocês escolheram.

Confira o novo vídeo institucional da Verde Ghaia.

Prêmio Compliance Brasil

Aconteceu a IV edição do Prêmio Compliance Brasil. Deivison Pedroza chancelou o Pacto pela Integridade e Compliance Sustentável, uma iniciativa voluntária que procura fornecer diretrizes para a promoção da ética e do crescimento sustentável através de lideranças corporativas comprometidas e inovadoras.

A formalização do Pacto aconteceu através das assinaturas de um compromisso durante o Prêmio Compliance Brasil, com apoio das principais organizações instaladas no Brasil. E em parceria com a Revista Voto, já tem sido apresentado em vários eventos como o Brasil de Ideias, juntamente com entidades influentes em nosso país.

E já estamos nos preparando para o próximo! O objetivo é o de reconhecer as organizações com sede no Brasil, que se preocupam em manter seus sistemas de gestão sempre atualizados. Fiquem atentos e fale conosco para participar em 2020!

Como já foi dito, são 20 anos de empreendedorismo e como marco o Prêmio Compliance Brasil que tem crescido e ganhando espaço nas governanças que zelam por relações mais transparentes e éticas!


Riscos do seu negócio: o que ocorre se não houver monitoramento?

Você conhece as consequências que a falta de monitoramento e acompanhamento dos requisitos legais aplicáveis ao seu negócio podem causar a toda a organização? Você já parou para pensar nos riscos que está correndo por não escolher mudar a sua forma de gerenciar?

Bem, tudo depende de qual atividade sua empresa tem, mas de modo geral, uma empresa que não cumpre com a legislação não só pode ter suas atividades interrompidas devido ao não cumprimento delas, como também estará demonstrando que sua preocupação com a segurança e saúde do trabalhador e com o meio ambiente é praticamente ausente.

Sua empresa pode sofrer sanções legais, como multas pecuniárias, cujo valor pode variar de quantias irrisórias até montantes milionários; interdição; cassação de alvarás; embargo das atividades; dissolução compulsória da organização e até responsabilização criminal.

Pode ocorrer também perda de reputação, como o valor da sua marca. E então ,perde-se valor de mercado, de imagem, de confiança e crédito, de rating, de fuga de clientes, de fornecedores e recursos humanos.

E provavelmente não realizar auditorias vai ocasionar muitas perdas financeiras e de mercado, devido ao pagamento de multas, problemas com fornecedores, prejuízos decorrentes da interrupção das atividades, honorários advocatícios, custas e outras despesas processuais. Além disso, pode desviar o foco da Alta Administração, ocorrer perda e suspensão de contratos e de potenciais clientes, queda de valor de mercado, perda de acesso a créditos e financiamentos, reparação dos danos causados pela desconformidade e até recuperação judicial ou falência.



Quem gostaria de trabalhar, investir ou comprar de uma empresa com um histórico nocivo?

Agora, uma empresa em conformidade com a legislação aplicável não apenas evita penalidades civis, administrativas e penais, como também reduz riscos de acidentes de trabalho, crimes ambientais e trabalhistas, e dessa forma também constrói uma imagem sólida e confiável perante o mercado, resultando em uma vantagem competitiva ante os concorrentes. Permite também obter outros benefícios, como a aquisição de seguros mais atrativos e acessíveis, facilitar o acesso a linhas de crédito, poder participar de licitações, ganhar mais facilidade na negociação de empréstimos bancários e ter um melhor retorno dos investimentos aplicados.

E ao adotar um sistema especializado para monitoramento de todas as leis aplicáveis ao negócio são gerados uma série a mais de vantagens, como diminuição dos riscos com fiscalizações inesperadas, redução nas denúncias de partes interessadas (vizinhanças, colaboradores) e evita a aplicação de multas — que podem se originar até mesmo por puro desconhecimento legal. Além disso, a empresa pode se planejar melhor, visando não apenas estar em conformidade, mas também ter o pleno conhecimento de seus riscos, criando assim planos de ação que estimulem seu desenvolvimento.

Estar em conformidade também favorece a obtenção dos selos ISO. A ISO 14001, por exemplo, exige que a empresa esteja de acordo com diversas leis ambientais para ser concedida.

SOGI: Sucesso garantido para os nossos clientes

Para que você tenha todos esses benefícios e cresça de forma sustentável, a Verde Ghaia oferece o SOGI. Através desse software de gestão você pode se juntar a nossos mais de 3.200 clientes e mais de 36.000 usuários, espalhados por todo o Brasil e mais seis países da América Latina.

E não importa a atividade desempenhada pela sua empresa ou se ela é pequena, média, grande ou até uma multinacional, porque nós atendemos os mais diversos setores, ramos e tamanhos. Dentre as nossas atividades, a Verde Ghaia se destaca em alguns serviços, tais como:

  • Auditorias em Conformidade Legal
  • Auditorias de Sistema de Gestão
  • Consultorias
  • Certificações ISO
  • Monitoramento de Requisitos Legais
  • Serviços de Outsourcing
  • Due Diligence
  • Gestão de Risco
  • Consultoria Jurídica
  • Análises de Risco Jurídico
  • Relatórios de Obrigações

E a cada ano, investimos pesado em melhorias tecnológicas, para que os nossos clientes possam agilizar seus processos mantendo a qualidade. Assim, conseguimos oferecer qualidade e segurança necessária para que o nosso cliente tenha acesso à identificação dos requisitos legais aplicáveis a seu negócio, apresentando a ele quais são os requisitos mais complexos e ainda, oferecer soluções para fatores limitantes que possam ocasionar futuros problemas.

Com o intuito de explanar, podemos citar o ramo alimentício. Atendemos a mais de 300 clientes de vários tamanhos. Em dezembro de 2018, esse ramo precisava atender a basicamente 9 mil requisitos, sendo a maioria desses requisitos complexos e que precisam ser monitorados e gerenciados com mais cautela e cuidado, de acordo com Deivison Pedroza, Fundador e CEO do Grupo.

Desse modo, oferecemos um software robusto, bem desenvolvido e com metodologias adequadas cujo monitoramento seria impossível se não houvesse o SOGI.

Quer saber como alavancar a sua Gestão? Fale conosco! Temos sempre as melhores soluções e ainda oferecemos segurança e qualidade em todos os nossos serviços!


Metodologias para uma Gestão estratégica e eficiente!

As metodologias para gestão estratégica são aspectos realmente cruciais para que as empresas sejam capazes de definir melhor suas ações e também iniciativas, de forma que o seu negócio possa prosperar!

O fato de se adotar medidas que ajudem a modelar os processos de uma empresa é um passo crucial para que se consiga ir de encontro aos objetivos organizacionais. Para que isso seja algo possível, pode-se contar com uma série de ferramentas de caráter estratégico e que podem ser adotadas por diversos perfis de empresas.

Integração dos Setores faz parte da gestão estratégica

Integração dos Setores faz parte da gestão estratégica

A integração de todos os setores é importante para todos os tipos de empresas. Além disso, isso acaba sendo uma atitude essencial que repercute nos objetivos estratégicos, levando aos resultados propostos pela sua gestão!

É através de uma Gestão Estratégica, que os responsáveis serão capazes de levantar informações importantes, tal como a competitividade da empresa, os recursos disponíveis, oportunidades e ameaças consideradas relevantes, além de outros aspectos importantes que contribuem para o crescimento da organização. Com isso, a empresa será capaz de pensar com mais assertividade as ações, tendo sempre como base o seu plano estratégico!

Metodologias: gestão com resultados assertivos

A importância das metodologias para gestão estratégica acaba sendo associada à forma que a empresa passará a gerir todos os seus processos internos e externos, sempre focado em seu planejamento, visto que este se relaciona a toda a estrutura organizacional!

Tudo isso permite envolver basicamente a definição acerca dos objetivos, bem como, uma melhor analise do ambiente competitivo e ainda da organização. Isso também, permite consolidar uma melhor avaliação de estratégias, implantação e ainda acompanhamento.

Em meio a um processo de Gestão Estratégica pode ser feita a identificação de como a empresa acaba se posicionando diante de seus concorrentes. Isso acaba contribuindo potencialmente a um melhor reconhecimento de todas as oportunidades e também possíveis ameaças, sejam elas internas ou até mesmo, externas!

Conceitos das metodologias e gestão

Estabelecer metodologias para gestão estratégica permite garantir uma melhor governança de todos os planos de ação e ainda manter um bom engajamento e também comprometimento da equipe – esses são apenas alguns dos benefícios possíveis!

Sem a adoção de tais metodologias o futuro da sua empresa acaba se tornando mais imprevisível. Além disso, as ações podem acabar saindo do controle desejado, o que poderá resultar, no final das contas, na falta de unidade e também de foco, podendo até mesmo causar um desperdício de recursos.

A estratégia acaba correspondendo ao que de fato a empresa deseja de maneira geral, bem como em conhecer melhor seus efetivos objetivos de curto, médio e ainda longo prazo.

As metodologias para gestão estratégica podem ser implementadas com o uso de ferramentas, indicadores, políticas e ainda processos, que quando usados de forma conjunta ajudam a formar uma eficiente governança corporativa para a empresa.

O que você deve saber sobre Gestão pelas Diretrizes (GPD)

Um dos maiores fundamentos da gestão de qualidade total, o GPD, que também é conhecido como desdobramento de diretrizes passou a ser largamente disseminado no Brasil por nomes consagrados na área de gestão, mais precisamente por Vicente Falconi!

Um dos principais objetivos desse aspecto é tratar de uma das metodologias que ajudem a desenvolver um bom planejamento, de maneira não somente prática como também por meio de um passo a passo intuitivo e até mesmo sensível à possíveis mudanças que possam ocorrer durante o processo.

Até mesmo por esse motivo, ele engloba técnicas do método PDCA (Plan-Do-Check-Act). Dessa maneira, o GPD também agrega uma relação bastante intensa com o controle e ainda com a melhoria contínua acerca da qualidade. Confira a seguir outros fundamentos da gestão de qualidade!

Conheça outras metodologias para melhorar sua Gestão

Conheça outras metodologias para melhorar sua Gestão estratégica.

Balanced Scorecard (BSC): É uma das metodologias para gestão estratégica mais famosas, porém, é ainda pouco aplicada em sua integridade. Ela tem como objetivo central enxergar de forma equilibrada todas as métricas de negócio dentro de uma empresa sendo elas agrupadas em objetivos estratégicos e que ainda tenham uma relação de causa e também efeito entre elas!

Objective and Key Results (OKRs):Consiste em um sistema de definição de metas muito usado pelo Google e demais empresas. Consiste em uma abordagem bastante simples de forma a se criar um forte e mais eficiente alinhamento e ainda engajamento em metas que sejam realmente mensuráveis!

PDCA:Essa metodologia foi citada no tópico anterior desse conteúdo, e é basicamente usada para se manter um melhor controle nos processos que tem como foco central justamente a solução de problemas recorrendo ao uso de 4 fases: Planejar, fazer, verificar e agir.

Design Sprint:Essa metodologia busca, de forma mais resumida buscar meios de se resolver problemas e problemas, considerando um prazo de 5 dias. Para tanto, é preciso se dedicar ao seu processo de forma a trabalhar com o problema com várias equipes e ainda tendo o cuidado de se fazer uma divisão de etapas!

Em casa um dos dias propostos nessa metodologia, é preciso focar todas as energias em um tipo de atividade!

Metodologia SCRUM:Considerada uma metodologia bastante ágil que permite a consolidação de uma gestão e planejamento de projetos de software. No SCRUM todos os projetos devem ser divididos em ciclos, sendo esses chamados de Sprints – e é nele que deverá ser representado um Time Box onde ainda será considerado um conjunto de atividades. Em suma, o trabalho é dividido em iterações, chamadas de Sprints e que permitem uma maior agilidade de todo o processo proposto!

Consideração final

Buscou-se, neste artigo, evidenciar as metodologias como grandes aliadas para melhoria e aperfeiçoamento do planejamento estratégico da sua empresa, de modo que você como gestor, possa lidar com os mais diversos desafios que surgirem em sua jornada!

Portanto, aposte em metodologias que ajudem a alcançar o seu propósito principal e faça como muitas outras organizações, inove e recrie seus processos.

Qual é a importância do gerenciamento de riscos?

A gestão de riscos nada mais é do que a identificação, planejamento, administração e controle de todos os recursos de uma empresa (sejam eles materiais, processuais ou humanos), e tem como objetivo auxiliar o processo de tomada de decisão dos gestores, amenizar os efeitos das incertezas e ainda ajudar a vislumbrar oportunidades que possam levar ao crescimento dos negócios.

Compreendendo o gerenciamento de seus riscos

Eis que chega em suas mãos um convite para acampar numa região erma e desconhecida. Bem… Sabendo das possíveis dificuldades do local, você certamente vai pensar em todos os problemas que possam acontecer lá, e por isso vai se preparar para cada um deles.

Então você vai preparar sua mochila. Em sua mochila haverá um fogareiro, estoque de água e comida, repelente contra insetos, pilhas extras para o walkie-talkie, um power bank para o celular (caso haja sinal), lanterna, canivete, curativos, medicamentos, roupas… Cada item a ser levado será baseado em sua suposição de possíveis percalços numa região desconhecida. Quanto mais preparado estiver, menos problemas você terá.

Ora. Tudo aquilo em sua mochila nada mais é do que uma representação de sua cautela, afinal você pode estar sujeito algum tipo de risco ou imprevisto estando numa região erma, não é? Sendo assim, nada mais lógico do que tentar prever tudo o que será necessário para tornar sua aventura inesquecível — positivamente inesquecível, é bom lembrar.

Agora imagine-se no conforto de seu escritório. O ar-condicionado está ligado, há uma copa logo ali para se beber um café fresquinho, os banheiros estão limpos e prontos para uso, sua cadeira é confortável, o celular pode ser usado para pedir comida a qualquer momento… Você precisaria levar sua mochila de acampamento lotada de apetrechos nesse ambiente? Obviamente não. Mas talvez devesse. Só que a mochila não precisará conter fogareiros ou pilhas. É uma mochila diferente, que estará carregando um pacote chamado “gestão de riscos”. 

Qual a realidade de algumas empresas?

Saiba mais sobre o Workshop de Compliance!

Sabe-se que nenhuma empresa está segura, ou seja, os riscos sempre estiveram presentes nas organizações e, de certa forma, fazem parte do jogo — é impossível se ver, totalmente, livre deles.

Uma estratégia de gestão de riscos permite que você identifique os pontos fortes e fracos de sua empresa, as possíveis ameaças e até mesmo as oportunidades (os chamados “riscos positivos”). Além disso, o tratamento de riscos ainda é capaz de gerar outros benefícios, tais como:

  • Agregar valor ao negócio.
  • Proteger o ambiente institucional.
  • Facilitar a tomada de decisões em todos os níveis hierárquicos.
  • Abordar e tratar incertezas (as quais incluem oscilações do mercado).
  • Valorizar o capital humano e intelectual dos colaboradores.
  • Permitir o processo de melhoria contínua em todos os processos da organização.
  • Gerar oportunidades.

O gerenciamento de riscos é composto por seis fases básicas

O gerenciamento de riscos é composto por seis fases básicas
Gestão de Risco: Os Princípios e Diretrizes da ISO 31000

1 – Planejamento: nessa fase, os gestores devem estabelecer o objetivo do gerenciamento dos riscos, detalhando também os departamentos que estarão envolvidos, suas atividades e seus respectivos responsáveis.

2 – Identificação de riscos: esse o momento de definir os principais riscos que podem afetar sua empresa, bem como suas características (e aí entram tanto ameaças quanto oportunidades).

3 – Análise qualitativa de riscos: depois que os riscos são identificados, eles devem ser classificados em grau de exposição e possibilidade de ocorrência. Obviamente os riscos com maior probabilidade de ocorrer e que afetam a empresa mais drasticamente devem ser tratados primeiro.

4 – Análise quantitativa de riscos: é o momento de efetuar uma análise numérica do efeito dos riscos, gerando relatórios com dados sólidos.

5 – Respostas: todo risco deve ser tratado, sem exceção, seja ele negativo ou positivo. A empresa deve elaborar uma resposta para cada um.

6 – Monitoramento: os riscos devem ser monitorados constantemente para que não saiam do controle. Além disso, a fase de monitoramento também vai auxiliar na reclassificação de probabilidade ou intensidade de um risco.

É importantíssimo que em todas as fases todos os funcionários sejam envolvidos na gestão de riscos. Sem uma conscientização geral, a empresa continuará sujeita a riscos e perigos, e alguns deles podem até mesmo colocar em xeque a segurança do negócio.

Posicionamento da Organização

A empresa deve estar sempre aberta à comunicação, ouvindo seus colaboradores com sinceridade, sem pensar pelo lado da punição caso sejam expostas muitas “verdades”.

Caso a empresa não possua experiência em gerenciamento de riscos ou queira se guiar a partir de padrões reconhecidos internacionalmente, pode recorrer à ISO 31000, norma certificadora criada em 2009 cujo objetivo é fornecer um padrão para a implementação de um gerenciamento de riscos em qualquer organização, independentemente de seu tamanho ou segmento.

Dicas para gerenciar seus riscos

Nenhuma empresa precisa se expor a riscos desnecessariamente — e apenas recentemente tem havido uma compreensão mais significativa sobre a importância da gestão de riscos. Medir riscos é essencial e estratégico; ignorar os riscos ou realizar o gerenciamento deles de maneira inadequada pode não apenas afetar seriamente uma organização, como também mitigar seu futuro.

Que tal preparar sua mochila? Conheça mais sobre os serviços e produtos da Área Técnica da Verde Ghaia, especializada em Gestão de Riscos, Análise de Risco Jurídico, Due Diligence, Pareceres, Seguro Ambiental, dentre outros.

Entre em contato conosco! A Verde Ghaia tem sempre uma solução para o seu negócio!

Se o Risco é intrínseco, por que há empresas que não se preocupam?

Módulo GRC: controle suas leis e reduza os riscos do seu negócio.

O gerenciamento de riscos numa organização consiste na identificação, planejamento, administração e controle de seus recursos, que tanto podem ser tanto materiais quanto processuais e humanos.

O objetivo do gerenciamento de riscos é minimizar ao máximo os riscos negativos — aqueles que podem trazer prejuízos — e tirar proveito dos riscos positivos — as chamadas oportunidades.

Breve perspectiva sobre a Gestão de Riscos

De maneira geral, a gestão de riscos precisa proteger a empresa das oscilações do mercado — as quais podem incluir fatores de natureza política do país, instabilidade econômica, eventos sociais e tecnológicos — e também auxiliar o gestor nas tomadas de decisão.

Quando Steve Jobs revelou o iPad, em 2010, muitos julgaram o lançamento uma aposta de altíssimo risco — afinal outras empresas já tinham tentado lançar produtos com a mesma dinâmica, e falharam. Hoje sabemos que o iPad é extremamente popular. Mas, é claro que Jobs não lançou seu produto a esmo, acreditando apenas em sorte ou intuição. Certamente houve um bom gerenciamento de riscos, abrangendo todos os conceitos que diziam respeito ao iPad — desde sua concepção até o monitoramento de sua recepção no mercado.

Mas obviamente este caso é só um exemplo muito pequeno dentro de um panorama imenso. O gerenciamento de riscos é muito, muito maior do que a mera escolha do momento certo para lançar uma inovação tecnológica, como neste exemplo da Apple.

Há Riscos em qualquer lugar

Uma boa gestão de riscos deve englobar questões trabalhistas, ambientais, sanitárias, concorrenciais e até mesmo de crimes financeiros. Decisões erradas podem fazer uma empresa ser penalizada com multas, prejuízos, acidentes com pessoal e até perda de reputação perante fornecedores e clientes.

Por aí, já percebemos que o gerenciamento de risco pode ser um processo um tanto árduo e complicado de se montar, não é mesmo? Porque, além de tudo, ainda envolve o mapeamento de eventos que ainda estão por acontecer (e que talvez nem mesmo venham a ocorrer, mas que nem por isso devem ser ignorados).

A gestão de riscos também envolve uma análise profunda dos processos internos de sua empresa. Quando você conhece os desafios a serem enfrentados e aplica as estratégias certas para lidar com os riscos, a liderança é exercida sob menos surpresas e o gestor se torna capaz de realizar planejamentos mais eficientes, descartando burocracias desnecessárias, impulsionando resultados e melhorando o relacionamento entre todas as partes interessadas.

Sendo assim, para dar conta de uma análise tão complexa, o ideal é recorrer a uma ferramenta que possa auxiliar a organização ao máximo, e que ofereça resultados realmente sólidos e confiáveis.

Módulo GRC: análise de processos internos

Para o gerenciamento de riscos, a Verde Ghaia possui o Módulo GRC (Governança, Risco e Compliance), módulo do sistema SOGI desenvolvido com base na ISO 31000, norma responsável por fornecer padrões para a implementação de um sistema de gerenciamento de riscos em qualquer tipo de organização.

Ao adotar o Módulo GRC, a empresa já se torna forte candidata a conquistar o selo ISO 31000, pois estará seguindo os melhores padrões para gerenciamento de riscos, incluindo requisitos legais reconhecidos internacionalmente.

O Módulo GRC possui funcionalidades muito específicas, que aprimoram totalmente o sistema de gerenciamento de riscos, organizando todas as suas fases.

Conheça algumas funcionalidades

  • O módulo GRC aponta se os riscos e oportunidades da empresa são significativos, e permite a criação de ações preventivas, corretivas e emergenciais personalizadas para cada risco identificado.
  • Cada ação terá um campo na interface onde será registrado o nome do responsável por ela, bem como o prazo dentro do qual deverá ser cumprida.
  • O sistema gera relatórios e gráficos gerenciais, classificando a origem e a severidade de todos os riscos e das oportunidades, e também aponta a probabilidade de ocorrência de cada um deles. Isso facilita a visualização dos dados e oferece respostas prontas para diversos questionamentos que o gestor possa vir a ter. A avaliação é realizada através de métodos quantitativos personalizados (como FMEA e Matriz de Risco).
  • Os usuários podem receber notificações sobre todos os prazos e ações, as quais serão enviadas por e-mail e também ficarão disponíveis no painel de pendências do sistema. Os avisos também abrangem prazos legais, evitando assim que a empresa tenha problemas pelo não atendimento à legislação.

Como Módulo GRC, a empresa vai conseguir identificar seus riscos, priorizá-los, determinar tudo o que é mais relevante para seu negócio e ainda identificar as melhores áreas para investimento de seu orçamento.

Risco é intrínseco, faça Gestão de Riscos!

É fundamental que os gestores compreendam que o risco é intrínseco a qualquer atividade, independentemente de seu ramo ou tamanho, por isso o gerenciamento de riscos é essencial em toda organização. Sempre que uma empresa monitora seus riscos, ela cria um cenário mais favorável para si, pois consegue prever boa parte dos problemas e também identificar os melhores momentos para investir ou alavancar seus negócios.

A gestão de risco, quando bem executada, agrega valor ao negócio, facilita a tomada de decisões em todos os níveis hierárquicos, valoriza o capital humano e intelectual dos colaboradores e permite um processo de melhoria contínua em todos os processos da organização.