quais os riscos do negócio – SOGI
×

Como analisar os riscos mais relevantes do negócio?

O Módulo GAIA, cuja sigla significa Gerenciamento de Aspectos e Impactos Ambientais, foi desenvolvido para facilitar o gerenciamento de todos os aspectos e impactos ambientais de sua organização.

Além disso, ele auxilia na avaliação de tais impactos e na criação de planos de ação voltados para a melhoria e adaptação às exigências legais.

No artigo adiante, abordaremos mais sobre o Módulo e os benefícios que as organizações podem alcançar bem como as melhorias em todos seu Sistema de Gestão!

Como atestar os controles e as análises de Riscos Ambientais?

O Módulo GAIA é um sistema para o gerenciamento de todos os aspectos e impactos ambientais significativos de sua atividade, o qual atesta a eficácia dos controles e auxilia na análise dos riscos mais relevantes para seu negócio, além de ajudar a vislumbrar oportunidades de redução de custo ou de novos investimentos.

Através de uma metodologia especialmente desenvolvida por especialistas, vai ficar fácil identificar a significância dos aspectos e dos impactos ambientais aplicáveis à sua organização, bem como a correlação de todos eles com a legislação.

O software oferece o procedimento e os critérios de identificação, informa se o aspecto e impacto ambiental são significativos, quais são os riscos para o seu negócio, identifica de forma clara os aspectos que necessitam de controle operacional a fim de reduzir suas ocorrências e é um suporte para a criação e gerenciamento de planos de ação para cada aspecto em sua atividade e processos.

Conheça os benefícios do Módulo Gaia para sua Gestão

– Armazena informações e históricos.

– Oferece uma interface amigável para visualização das planilhas.

– Gera relatórios e gráficos gerenciais, realizando o envio automático para o e-mail dos interessados, sempre mostrando o status dos planos de ação.

– Detém maior agilidade nos controles e possibilidade de controle centralizado.

– Organiza a gestão de todos os itens do Levantamento de aspectos e Impactos: área, processo, atividade e medidas de controle.

– Gerencia os riscos e oportunidades dos processos e operações, relacionando-os aos aspectos e impactos.

– Relaciona suas atividades finais e suas possíveis consequências de acordo com aspectos e impactos ambientais.

– Gera a análise de riscos e ciclo de vida dos produtos e relatórios gerenciais.

– Permite o controle das permissões de acessos dos usuários e das alterações nas planilhas.

– 100% de confidencialidade e segurança da informação.

– Sistema online, sem necessidade de instalação, com acesso em período integral de qualquer lugar do mundo

Com todas as informações pertinentes inseridas, o software é capaz de responder a milhares de perguntas, tais como:

– Quais são os aspectos/impactos significativos em minha atividade?

– Meus controles estão sendo eficazes?

– Quais os riscos mais relevantes para o meu negócio?

– Há oportunidades de redução de custo ou de novos investimentos?

Só o Módulo GAIA assegura a identificação dos riscos e oportunidades, e determina a gravidade, a frequência, a probabilidade, a incidência, o nível de controle e o risco residual de todos os aspectos e impactos ambientais, evitando a ocorrência de acidentes e garantindo à gestão ambiental o máximo de precisão.


Você sabe a quais Riscos a sua organização está exposta?

Você já parou para pensar em todos os riscos que seu negócio possui? Sabia que conhecer seus riscos e saber gerenciá-los, eles podem ser tornar peças chave para sua empresa? E se você for dono do seu negócio, conhecer os riscos e saber geri-los é o mesmo que optar pelo crescimento sustentável da sua empresa!

Por isso, neste artigo vamos falar sobre quais riscos seu negócio pode possuir; o que é gestão de riscos e como você pode fazer uma gestão estratégica dos riscos em sua empresa e quais as vantagens disso.

Quais os riscos para seu negócio?

Primeiro, é importante saber que risco é diferente de perigo. Risco é uma palavra que vem do italiano rischio, e, em um negócio, é definido como “acontecimentos, condições ou circunstâncias futuras que podem provocar impacto, normalmente negativo, em um projeto ou empreendimento, como prejuízos ou danos”. É a probabilidade de algo vir a ocorrer.

Perigo por sua vez é a causa do risco, sua fonte geradora, ou “a fonte, situação ou evento com potencial de causar danos à integridade física do trabalhador, as instalações ou aos equipamentos no ambiente de trabalho”.

A noção de risco também está atrelada ao conceito de oportunidade, pois de acordo com a norma ABNT NBR ISO 14001, riscos e oportunidades são efeitos potenciais adversos (ameaça) e efeitos benéficos, que são as oportunidades.

Existem riscos que, dependendo da tomada de decisão, podem vir a gerar lucros ou perdas para a empresa, sendo chamados de risco especulativo. Como exemplos, temos os riscos administrativos, que envolve tomadas de decisão sobre mercado, investimentos e produção; os riscos políticos, como as mudanças na legislação e regulamentos; e os riscos referentes à evolução tecnológica e inovação, que pode vir a trazer benefícios para os produtos e serviços ou torná-los obsoletos.

10 Passos para implantar um Compliance de Sucesso, mesmo sem ser advogado

Toda organização está exposta ao Risco

Outros tipos de riscos são aqueles cujas consequências são sempre negativas e não há possibilidades de lucros com eles. Entre estes riscos, podemos citar os riscos que existem em relação ao patrimônio da empresa, como equipamentos, roubos, furtos, incêndios; os riscos de doenças e acidentes de trabalho que podem acontecer com os colaboradores; e também os riscos que podem causar uma indenização a terceiros, como os riscos ambientais, os problemas na qualidade de produtos e serviços, entre outros.

Portanto, em qualquer tipo de empresa há riscos. E estes podem vir a acontecer devido à fatores e influências internos e/ou externos.

Os riscos internos são aqueles que são as consequências da atuação da própria empresa, e os riscos externos referem-se aqueles que não estão sob controle da organização, como a variação cambial, variação das taxas de juros, aumento de impostos, mudanças nas legislações, mudança no mercado que a empresa atua, desenvolvimento de novas tecnologias, questões políticas e econômicas, catástrofes naturais, etc.

Quanto aos fatores internos, os riscos que o seu negócio pode possuir depende da sua atividade. Mas de modo geral podemos citar como exemplos:

  • Fraudes de colaboradores ou terceiros;
  • Perda de estoque ou de fornecedores;
  • Furtos;
  • Compra de insumos sem prévia pesquisa;
  • Ações trabalhistas;
  • Destruição ou perda de recursos físicos;
  • Perdas de receitas;
  • Elevação de custos;
  • Perda de funcionários importantes;
  • Má gestão das contas;
  • Problemas na produção;
  • Dificuldades logísticas na distribuição;
  • Falta de oferta de crédito;
  • Dificuldade em pagar empréstimos;
  • Multas e processos na Justiça;
  • Perda de reputação da marca;
  • Acidentes de trabalho;
  • Acidentes ambientais;
  • Continuidade do negócio;
  • Disponibilidade de capital;
  • Não cumprimento de uma norma ou requisito legal;
  • Perda de informações importantes devido ao uso de recursos ou sistemas obsoletos;
  • Retrabalho;
  • Desperdício de recursos financeiros e materiais;
  • Entre muitos outros.

Quando se tem conhecimento dos tipos de riscos que podem acontecer em seu negócio, fica mais fácil de evitá-los e agir de maneira a preveni-los antes que aconteça. E então, a gestão começa a dar os primeiros passo em direção a uma eficiente gestão de riscos.

O que é gestão de riscos?

Gestão de riscos é “o processo pelo qual o risco é medido ou estimado e estratégias são desenvolvidas para evitá-lo, reduzi-lo ou mitigá-lo”. Também pode ser definida como o “processo de planejar, organizar, dirigir e controlar os recursos humanos e materiais de uma organização, no sentido de minimizar ou aproveitar os riscos e incertezas sobre essa organização, que possam causar danos ao projeto, às pessoas, ao meio ambiente e a imagem da empresa”.

Através da gestão de riscos você lida com as incertezas e com a probabilidade da ocorrência de um dano e suas consequências, avaliando-as para que as melhores decisões possam ser tomadas de forma antecipativa e preventiva, priorizando riscos que são mais prováveis que aconteçam ou os mais graves.

Ou seja, você vai conhecer, antes, quais medidas tomar para que o risco seja evitado ou minimizado, e também quais os custos para isso. A gestão de riscos é um processo contínuo, sujeito a atualizações, e não termina com a identificação inicial dos riscos. Ele deve possuir um bom plano de ação e todos da equipe devem estar alinhados a ele para que não haja surpresas nem problemas no meio do caminho.

A ISO 45001 e a gestão de riscos

Dentro das normas internacionais de certificação, a gestão de riscos também se faz presente, através da norma ISO 45001. Seu foco é a gestão de riscos, avaliação de riscos, conscientização dos indivíduos envolvidos, melhoria contínua do sistema de gestão, tudo de maneira preventiva e englobando todo o negócio. De acordo com a ISO 45001, a gestão de risco é a ferramenta principal dentro de um sistema de gestão, agregando valor para qualquer organização, protegendo seus colaboradores, cumprindo os requisitos legais e facilitando o aprimoramento contínuo.

A ISO 45001 enfatiza o gerenciamento de riscos de sistema de gestão de saúde e segurança ocupacional (SSO), cujo objetivo é permitir que uma organização forneça locais de trabalho seguros e saudáveis que previnam lesões e doenças ocupacionais.

E mais importante que o risco, a ISO 45001 se preocupa com as oportunidades. E essa norma é importante porque com a implementação de um sistema de gestão baseado nessa norma, sua empresa passa a conhecer e gerenciar melhor os seus riscos, estabelecendo controles e definindo objetivos focados na prevenção e alinhados à estratégia da empresa. Ou seja, você passa a ter uma estrutura para gerenciar riscos e oportunidades garantindo que sejam mitigados ou eliminados (riscos) ou potencializados (oportunidades).  

Com a substituição da OHSAS 18001 para a ISO 45001, a maneira de levantar os riscos em sua organização mudou.

Antes era feito de maneira reativa. Hoje, com a alteração da norma, esse risco deve ser levantado e identificado de maneira contínua e preventiva. Outro ponto importante é que agora são considerados os riscos que podem afetar o funcionamento e a saúde da organização, incluindo as partes interessadas que possuem acesso ao local e trabalho, como visitantes, fornecedores, clientes, por exemplo.


Quer saber como Implementar um Programa de Compliance condizente a realidade da sua organização? Fale com nossos Consultores especializados em Gestão de Risco e Compliance!


Leia mais sobre Gestão e Compliance!

https://www.verdeghaia.com.br/blog/como-abordar-os-riscos-e-oportunidades/
https://www.verdeghaia.com.br/blog/governanca-risco-e-compliance-gestao-de-risco/