Indicadores ESG na mudança de condutas para valorização
×

ESG: competitividade através de Indicadores

ESG. Você já ouviu falar sobre essas três letras? Provavelmente, você já as conheceu isoladamente, ao administrar seus programas de gestão ou até já ouvir falar sobre tripé da sustentabilidade.

Mas, talvez não tenha vislumbrado que juntas, elas podem até mesmo alterar o valor de sua empresa no mercado e tornar um diferencial da sua empresa. É sobre esse tema que abordaremos no artigo de hoje. Acompanhe!

Boa leitura!

Entenda como ESG vem mudado o mundo dos negócios

Hoje, essas três letrinhas são importantíssimas para as empresas, sendo inclusive responsáveis por atrair investidores e até mesmo determinar seu valor no mercado de ações.

Isto se dá porque elas sintetizam os critérios de conduta das organizações em áreas consideradas cada vez mais importantes para investidores. O chamado investimento ESG é aquele que incorpora questões ambientais, sociais e de governança como critérios na análise do valor da empresa, indo muito além das tradicionais métricas econômico-financeiras adotadas originalmente.

Antes de entrar em detalhes, vamos conhecer as definições exatas de ESG.

Enviromental (ambiental): Envolve o uso de recursos naturais, emissões de gases de efeito estufa (CO2, gás metano), eficiência energética, poluição, gestão de resíduos e efluentes etc.

Social: Diz respeito apolíticas e relações de trabalho, inclusão e diversidade, engajamento dos funcionários, treinamento da força de trabalho, direitos humanos, relações com comunidades, privacidade e proteção de dados.

Governance (governança): Abordaa independência do conselho deliberativo, políticas de remuneração da alta administração, diversidade na composição do conselho administrativo, a estrutura dos comitês de auditoria e fiscal, bem como questões de ética e transparência.

O Peso do ESG na mudança de condutas para valorização

Se há algumas décadas muitas empresas aderiam a programas sociais ou ambientais apenas para “fazer bonito”, perante a sociedade, hoje tais questão são de fato levadas a sério. Ou seja: não adianta mais fingir existir uma conduta social, ambiental ou de governança dentro de uma organização. O comprometimento deve ser genuíno e é mensurável.

A XP Investimentos, por exemplo, é uma das empresas que acaba de iniciar a cobertura de ações com foco nos princípios do ESG. Em seu website, a XP diz crer que a análise ESG será responsável por revolucionar o mundo dos investimentos.

De acordo com seu levantamento, em termos globais, mais de US$30 trilhões em ativos sob gestão são gerenciados por fundos cujas estratégias têm caráter sustentável. É nítido que cada vez mais investidores estão colocando o conceito de “investimento responsável“ como fator decisivo na alocação de recursos.

E em que pé, estamos no Brasil?

De acordo com o mesmo levantamento da XP Investimentos, o interesse nos aspectos da ESG por aqui também tem sido cada vez mais crescente. A XP inclusive já montou uma primeira seleção de ações brasileiras com foco em ESG, a qual é composta por dez ativos: Ambev, B3, Banco do Brasil, Cemig, Energias do Brasil, Marfrig, Natura, Localiza, Santander Brasil e Ultrapar. Como podemos constatar, a iniciativa pode e deve ser adotada em qualquer setor.

É claro que com esse movimento nossa indústria de investimentos também virá a sofrer grandes modificações — de modo que as empresas que não se adaptarem, certamente perderão espaço. A pesquisa “Estilos de Vida 2019” realizada pela Nielsen, detectou que 42% dos brasileiros está mudando seus hábitos de consumo a fim de reduzir o impacto no meio ambiente. A tendência é que este número cresça cada vez mais.

Por que minha empresa deve se importar com o ESG?

Em primeiro lugar, conforme já dissemos no início deste texto, o ESG não é um sistema baseado em aparências, apenas para que a empresa fique com uma boa imagem no mercado. É preciso adesão real, e isso obviamente reflete em todas as suas atividades, tanto internas quanto externas.

A empresa que realmente implementa a gestão com base no ESG não apenas melhora muito seu clima interno, reinventando seu modelo de negócios e elaborando formas mais eficientes de produção, como possui maior engajamento de investidores e consolida a confiança junto aos fornecedores e consumidores.

A adoção de princípios ESG na análise das empresas

A adoção de princípios ESG na análise das empresas incita novas discussões que não apenas envolvem fatores essenciais para o bem da sociedade — como a manutenção do ecossistema e a construção de um mundo melhor para todos — como também muda a forma como produzimos e consumimos bens e serviços.

Questões ambientais, sociais e de governança hoje podem ser tranquilamente colocadas em primeiro plano, não há mais espaço para o greenwashing, termo para classificar as empresas que promovem discursos, propagandas e/ou campanhas para se apresentarem ao público como sustentáveis, mas cujos discursos não se alinham ao que é feito na prática.

Hoje não se trata mais de “ser ou não ser ESG”, a adesão é praticamente obrigatória; o que constatamos é que as empresas se encontram em diferentes estágios nessa jornada. Algumas avançaram imensamente na questão, outras ainda estão engatinhando, conhecendo os primeiros passos da gestão social, ambiental e de governança.

E a sua empresa, como está nos aspectos da ESG?

Caso você, gestor, ainda esteja confuso sobre a posição de sua organização em relação à ESG, não precisa se preocupar. Abordaremos vários assuntos relacionados a este tema, abordando-o de maneira mais profunda os aspectos ambientais, sociais e de governança.

Queremos ajudá-lo a tornar sua Marca competitiva através de Indicadores ESG para o alto desempenho do seu negócio.

Fale com nossos consultores e saiba como podemos ajudar na implementação ou adoação de práticas com foco nos princípios do ESG, para uma gestão eficaz e bem-sucedida.

Daniela Pedroza | Diretora Técnica do Grupo VG

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *