abril 2020 - SOGI
×

Licenças e Condicionantes: Como o SOGI ajuda no controle?

O Módulo Licenças e Condicionantes é o que tem de mais moderno e inovador no mercado, que veio para facilitar seu trabalho e garantir que sua empresa atinja resultados incríveis, de forma transparente, eficiente e eficaz de controle das validades, renovações e atendimento às condicionantes.

Verde Ghaia traz essa solução para atender às necessidades das organizações, como também a de empreendimentos com menor estrutura, para que os mesmos mantenham o controle de suas licenças e documentos críticos melhor fiscalizados e sempre em dia. Conheça o Módulo Licenças e obtenha mais controle em sua matriz.

Abaixo, respondemos algumas perguntas mais frequentes para explicar melhor o funcionamento do sistema. Boa leitura!

Quais as funcionalidades do SOGI Licenças?

O Módulo Licenças e Condicionantes tem como objetivo principal fazer a gestão de prazos e documentos da atividade da sua empresa, permitindo um controle detalhado das obrigações detalhadas das leis. Ele apresenta muitas funções, como por exemplo:

  • Acessar um banco de dados contendo mais de 110 mil leis.
  • Inserir as licenças e condicionantes pertinentes à gestão da sua empresa. Isso inclui o registro das licenças com os períodos de validade e renovação, seus responsáveis, marcar usuários que receberão as demandas e os observadores do processo, áreas às quais se aplicam, suas condicionantes e o atendimento de cada uma.
  • Acessar todo o histórico de licenças e condicionantes quando quiser.
  • Controlar os prazos de renovação de suas licenças.
  • Montar planos de ação, gerenciá-los e monitorá-los regularmente.
  • Definir ações preventivas, corretivas e emergenciais, nomeando os responsáveis e determinando os prazos para cada ação.
  • Monitorar e gerenciar os processos que exigem monitoramento e controle de prazos e documentos e/ou que dependam de algum tipo de autorização ou credenciamento junto aos órgãos
  • Criar uma listagem de documentos inter-relacionados.
  • Receber notificações sobre os prazos e as ações por e-mail e pelo painel de pendências presente no sistema. Dentro desta funcionalidade, pode definir a periodicidade dos alertas importantes, sendo avisado sobre a renovação de licenças, entregas de relatórios às autoridades ou as condicionais específicas com prazo.
  • Acompanhar cada um dos processos através de relatórios e gráficos gerenciais. Estes relatórios e gráficos apresentam por exemplo estatística por tipo de licença, origem, status, por temas, áreas, órgãos, entre outros.
  • Verificar informações complementares solicitadas pelos órgãos competentes.

Posso gerenciar licença ambiental e outros documentos através do Sistema Licenças?

No Módulo Licenças e Condicionantes podem ser gerenciados todos os processos que exigem monitoramento e controle de prazos e documentos e/ou que dependam de algum tipo de autorização ou credenciamento junto aos órgãos, como por exemplo licenças, alvarás, polícias civis, federal e exército, cadastros nos conselhos de classe (CREA, CRQ, etc), AVCB, outorgas, manejo florestal, termos de ajustamento de conduta, entre outros.

Como Módulo Licenças auxilia na sua gestão?

No Módulo o usuário acessa uma plataforma integrada e nela pode administrar uma série de informações importantes referentes às licenças e condicionantes de seu negócio.

O Módulo Licenças garante que todos os seus documentos relacionados à gestão ambiental, tais como licenças, protocolos e relatórios, fiquem armazenados em um só lugar, estando digitalmente acessível para todos os autorizados a consultá-los e podendo ser pesquisados por todos os gestores interessados. Desse modo, é possível garantir a criação de um processo de comunicação mais transparente com as partes interessadas ou as partes que se afetam nesses controles.

O Módulo permite também, a visualização dos pontos mais críticos e a formação de um banco de dados sobre todas as etapas e fases dos licenciamentos e do atendimento das condicionantes. Essa visualização pode ser online através de georreferenciamento.

Quais as vantagens em utilizar o Módulo Licenças na minha gestão?

A utilização do Módulo Licenças e Condicionantes traz como vantagens para sua empresa:

  • Garantia de transparência na gestão das licenças ambientais e eficácia e eficiência para controlar validades, renovações e atendimento às condicionantes.
  • Prevenção das ocorrências de perda de prazo, multas, interdições, que podem gerar paralisações temporárias ou definitivas das atividades.
  • Permitir, de modo fácil e simples, que você organize com antecedência a documentação e as condicionantes de uma licença ambiental.
  • Controlar as informações complementares, como os possíveis documentos solicitados pelo órgão fiscalizador depois que a empresa protocola o cumprimento das condicionantes.
  • Verificar índices de sustentabilidade ou de conformidade legal em relação aos seus concorrentes.
  • Reduzir em até 90% dos custos com Auditorias anuais de Due Diligence Ambiental.
  • Detalhar os planos de ação e os custos derivados das obrigações, de modo que você possa traçar metas para que as exigências sejam alcançadas de maneira completa e estratégica, em todos os setores da sua empresa.
  • O sistema faz uma gestão específica para os prazos, notificando quanto tempo falta para vencer determinado prazo.
  • Permite fazer o mapeamento geográfico tanto das licenças quanto das condicionantes da sua empresa. E isso é importante porque em um mapa é possível ver onde estão o atendimento e como estão as licenças;
  • Você tem um software desenvolvido especialmente para cuidar da gestão das suas licenças e condicionantes, permitindo a criação de gráficos e relatórios especificamente sobre elas.

Posso utilizar o Módulo Licenças e em toda a minha empresa?

Sim! O Módulo de Licenças e Condicionantes é um programa descentralizado e pode ser usado por todos os setores da empresa. Inclusive, recomendamos o uso do SOGI Corporativo para que a matriz mantenha a padronização de seus processos. Saiba mais com nossos especialistas.

É fácil utilizar o Módulo Licenças e Condicionantes?

É muito fácil! Basicamente, os passos a serem seguidos são:

  1. O usuário acessa o Módulo para inserir as licenças e condicionantes da sua gestão.
  2. Controla os prazos de renovação das licenças.
  3. Faz planos de ação para monitorar e define periodicidade dos alertas.
  4. Gerencia seus planos de ação e da equipe.
  5. Configura os tipos de licença e cria listagem de documentos do mesmo ramo.
  6. Acompanha tudo através de relatórios e gráficos gerenciais de todas as suas licenças e condicionantes.

Em caso de dúvidas, temos uma equipe especializada no uso do Módulo Licenças que irá ajudá-lo. O atendimento poderá ser telefônico ou por e-mail.

Qual o diferencial desse módulo com outros softwares no mercado?

Além de tudo o que já foi falado aqui, o Módulo Licenças e Condicionantes apresenta mais alguns diferenciais:

  • Sua utilização é muito fácil;
  • As informações são visualizadas de forma muito clara e objetiva;
  • Cada usuário pode ser cadastrado com diferentes hierarquias de perfis de acesso, definindo assim quem acessa o que, deixando registrado data, horário de acesso, tipos de modificações e alterações que foram feitas. Os perfis são totalmente configuráveis.
  • O número de usuários que podem ser cadastrados é ilimitado.
  • O usuário também pode ter acesso corporativo, podendo acompanhar todas as suas unidades. Isso permite um controle maior e mais eficaz da gestão de todas as suas unidades corporativas.
  • É um software totalmente online, não sendo necessário instalar nenhum programa. Dessa forma, você tem acesso 24 horas por dia, 7 dias por semana, de onde você estiver.
  • Gera em tempo real e com apenas um clique os relatórios e gráficos de gerenciamento; e
  • Pode ser customizável para se adaptar às necessidades de cada cliente.
  • O armazenamento dos dados é feito na nuvem. Por isso, o Módulo Licenças e Condicionantes garante 100% de confidencialidade e segurança da informação.
  • Não há limites de uploads de documentos.

Quer saber mais detalhes sobre a ferramenta de controle de Licenças e Condicionantes? Agende uma apresentação e conheça na prática os recursos que vão te ajudar a gerenciar melhor toda a sua gestão!

Outsourcing Verde Ghaia: saiba como funciona!

O outsourcing é uma excelente maneira de conhecer as fraquezas e as forças de sua empresa, valorizando as áreas estratégicas da sua organização, tornando os processos ainda mais produtivos, otimizando todas as atividades e conduzindo ao sucesso duradouro. Além disso, o outsourcing confere uma série de vantagens às empresas que o contrata para controle de leis e requisitos legais aplicáveis.

Entenda na prática como funciona a metodologia Outsourcing Lira, que pode aprimorar o sistema de gestão da sua empresa para tomar decisões mais assertivas. 

Por isso, preparamos algumas perguntas mais frequentes que vai te ajudar a entender como a metodologia Outsourcing da Verde Ghaia vai auxiliar na melhora do controle de seus Requisitos Legais.

Como utilizar o Outsourcing?

O primeiro passo é ter a certeza que estará contando com uma empresa especializada na área que você irá terceirizar. Sem essa confiança nada vai funcionar.

Se você administra o seu negócio, a sua empresa, o seu ramo de atividade, não importa qual seja ele, e tem dificuldade no monitoramento e gestão dos requisitos legais e obrigações da sua atividade, o SOGI é a melhor solução para você! Porque através dele é possível gerenciar todos os requisitos nas áreas de qualidade, saúde, segurança, meio ambiente e responsabilidade social. E não só apontar para você quais se aplicam ao seu negócio, mas também como fazer para cumprir esses requisitos.

Qual a principal função do Outsourcing LIRA?

Seu objetivo principal é o monitoramento dos requisitos legais aplicáveis ao negócio, cumprindo as inúmeras obrigações presentes no ordenamento jurídico brasileiro, que se destaca não apenas por seu volume espantoso, mas também  por sua dificuldade técnica, os quais exigem tempo de dedicação das áreas operacionais para gerir o processo de interpretação das leis na busca constante das evidências de atendimento.

Neste contexto, soma-se a exigência cada vez maior de conhecimento jurídico e técnico na avaliação das obrigações, bem como de qualidade na elaboração dos registros das evidências.

Como gerenciar os Requisitos Legais e as Obrigações com Outsourcing?

No Outsourcing LIRA, o consultor realiza a revisão da aplicabilidade dos requisitos legais e obrigações, removendo aqueles que não são pertinentes. Então preenche o Módulo LIRA, inserindo as descrições de evidências de atendimento ou não atendimento das obrigações.

Por fim, são criados planos de ação corretivos junto aos gestores responsáveis e são determinados prazos para tratar as obrigações identificadas como não conformes. 

Todo o processo inclui o envio mensal de relatórios das estatísticas de atendimento do monitoramento legal.

Quais os benefícios do Outsourcing LIRA?

São inúmeros os benefícios, como por exemplo:

  • Atualização mensal dos requisitos, obrigações e evidências do Módulo LIRA.
  • Redução de gastos com pessoal especializado.
  • Validação mensal dos novos requisitos, visando instruir a empresa sobre novas obrigações importantes aplicáveis.
  • Classificação das obrigações de acordo com as áreas de abrangência, de acordo com as indicações do cliente.
  • Revisão da aplicabilidade dos requisitos e das obrigações aplicáveis ao cliente.
  • Criação de planos de ações corretivos de acordo com as indicações do cliente.
  • É um sistema ideal para empresas que fazem Auditoria 100% e que desejam validação e registro de evidências em todas as obrigações, pois as ações são diluídas ao longo do ano.
  • Evita o estresse em períodos de pré-auditoria de certificação, pois tudo estará em dia.
  • Utiliza mão de obra especializada e experiente no monitoramento legal.
  • Recebe maior apoio técnico e suporte dos responsáveis pela metodologia SOGI.
  • Aumenta as chances de a empresa figurar entre os melhores no Prêmio Compliance Brasil.

Outsourcing LIRA: meus dados e minhas informações estão seguras?

Para a Verde Ghaia a segurança dos dados e das informações de seus clientes é prioridade.

Por isso, todo o armazenamento é feito em nuvem, de forma a assegurar que todos os seus dados e suas informações estarão seguras e que o acesso a elas será somente da organização e de seus usuários cadastrados. 

É preciso instalar algum programa? Como utilizar Outsourcing LIRA?

É muito simples e fácil de usar! Não é necessário instalar nenhum programa. O acesso é online, 24 horas por dia, 7 dias por semana, do lugar onde você estiver. E você ainda conta com uma equipe especializada da Verde Ghaia de consultores em SG e Consultores Jurídicos.

E se eu tiver alguma dúvida?

Se alguma dúvida surgir a qualquer momento, não se preocupe! A equipe jurídica da Verde Ghaia dedicada ao outsourcing manterá a empresa informada das alterações mais importantes das obrigações legais. Você conta com uma equipe preparada para te antender, sendo ela responsável por enviar, mensalmente, gráficos estatísticos de todos os seus atendimentos.

Dessa maneira o gestor tem total controle do processo e a organização não perde mais nenhum prazo legal e mantém todos os seus processos funcionando da melhor maneira possível.

Fale conosco!

Pilar da inovação no reverso do COVID-19

Há trinta anos, a escola de negócios suíça IMD (International Institute for Management Development) divulga um ranking de competitividade digital, no qual são avaliados mais de sessenta países.

A pesquisa se baseia em indicadores estatísticos e nos resultados de uma pesquisa de opinião realizadas com executivos que passaram ao menos um ano vivendo em cada país pesquisado. Nesse estudo são avaliados aspectos como agilidade tecnológica, uso de big data e analytics e capacidade de se antecipar às mudanças no mercado.

Na edição 2019, 63 países foram avaliados. O Brasil ficou na 59ª posição geral, na frente apenas da Croácia, Argentina, Mongólia e Venezuela. Na prática, isso significa que ainda somos menos “digitais” do que pensamos.De acordo com o mesmo estudo da IMD, o Brasil ainda é um país que apresenta muitos obstáculos para abrir novos negócios e cuja legislação ainda carece de desenvolvimento em pesquisa e tecnologia.

Além disso, nossas empresas ainda necessitam de mais agilidade, flexibilidade e acesso a capital para investir em tecnologias, bem como de mais interesse em construir parcerias entre empresas e universidades.

Pilar da inovação no reverso do COVID-19. Brasil ainda é um país que apresenta muitos obstáculos para abrir novos negócios.

Um choque no mercado

Deivison Pedroza, CEO da Verde Ghaia, tem uma frase muito emblemática sobre o relacionamento das empresas brasileiras com a tecnologia: “Muitas empresas pensam que são digitais só porque têm funcionários usando computador e smartphone; mas a maioria delas ainda são incrivelmente analógicas”.

Certamente essas empresas ilusoriamente digitais sentiram o choque no momento em que foram atingidas pelo impacto global causado pelo vírus COVID19. Não precisamos entrar em detalhes sobre a pandemia, afinal o assunto tem sido abordado maciçamente em todos os veículos. Nossa proposta é fazer um convite à reflexão em relação à sua situação profissional, à situação da sua empresa: como esse novo panorama foi encarado? Sua organização já dispunha de um cenário favorável para instituir o home office? Quais funções puderam ser adaptadas para o ambiente externo da empresa?

A grande falha é que muita gente ainda pensa que, para haver a estrutura do home office, basta um computador, conexão com a internet e um smartphone. A ilustração do trabalho remoto ainda é fantasiosa, como uma cena de filme, e o COVID19 fez com que muitas empresas acabassem descobrindo as dificuldades de implementação deste modelo de forma atabalhoada, sem qualquer tipo de planejamento ou preparo. Às vezes o conhecimento sobre o modelo de trabalho remoto até existe, mas é apenas teórico, jamais prático.

Sua empresa preparada o tempo todo?

Há anos temos enfrentado uma corrida exaustiva para transformar os negócios analógicos em digitais, mas só agora — diante da extrema necessidade — as empresas estão tendo exata noção de seu posicionamento tecnológico num mercado onde só os fortes aguentam o tranco. Agora, mais do que nunca é hora de rever seu modelo de negócios. Veja como adaptar sua empresa para o trabalho remoto:

Análise de funções e cargos. Algumas funções podem ser realizadas à distância, já outras, não tem jeito: precisam ser dentro da empresa. Liste todos os cargos existentes em sua organização, definindo quais podem ser feitos por home office e quais têm de ser presenciais. No caso dos cargos de trabalho in loco, defina formas de desonerar os funcionários. Pode ser montando escalas, reduzindo a carga horária etc.

Gestão em primeiro lugar. Se necessário, revise processos e recorra a modelos de gestão (como o PDCA) ou a normatizações internacionais para reformular seu gerenciamento (a ISO 9001, por exemplo, tem enfatizado a análise de riscos, fator muito importante em momentos de urgência como este).

Avaliação da comunicação. Lembre-se de que toda comunicação entre funcionários será feita por telefone ou internet. Busque saber quais softwares atendem melhor às necessidades da empresa, principalmente para a realização de conferências e reuniões. Tenha consciência de que alguns processos podem ficar mais lentos devido a deficiências tecnológicas ou mesmo dificuldades humanas (Exemplo: o funcionário está em teleconferência, mas ao mesmo tempo está dando atenção a outra atividade).

Perfil dos funcionários. Nem todo mundo nasceu para fazer home office. Algumas pessoas têm muita dificuldade de se concentrar fora do ambiente de trabalho ou acabam se dividindo entre tarefas do escritório e atividades em casa (serviços domésticos, filhos etc). Num momento como este, em que não há muita escolha — afinal estamos cumprindo uma quarentena —, é preciso conscientizar a todos de seus deveres e responsabilidades. E também é preciso que a própria empresa saiba equilibrar as coisas para que seu pessoal não acabe sobrecarregado. Ninguém precisa de mais estresse.

Apoio tecnológico. Em alguns casos, é preciso fornecer acesso à rede interna da empresa, de modo que o funcionário possa acessá-la de casa. Verifique se há estrutura para tal. O ideal também é que equipamentos como celulares e laptops sejam fornecidos pelo empregador. Prepare-se para os custos. O ideal é que isso faça parte do orçamento da empresa desde sua fundação.

Metodologia ágil. Conheça a importância da metodologia ágil, que, sob o conceito da Tecnologia da Informação (TI), é um formato mais eficiente para se criar programas, cuja abordagem confere muito mais flexibilidade aos profissionais de TI, pois o planejamento e a execução de todas as rotinas são mais interativos. Saiba mais neste artigo sobre essas metodologias!

Escolha de ferramentas. Faça uma pesquisa minuciosa para descobrir todas as ferramentas ideais para sua empresa. Isto inclui hardwares e, principalmente, softwares.

A Verde Ghaia tem investido em diversos serviços e produtos com foco em tecnologia, automação e inteligência artificial a fim de auxiliar no planejamento de ações estratégicas. Certamente ela possui a ferramenta ideal para sua empresa.

Hora de mudar

Devido ao baixo nível de concorrência, foco em commodities, pouco incentivo à inovação e foco insuficiente em pesquisas científicas, infelizmente o Brasil ainda é pouco afeito às soluções empresariais. Não é à toa que a pandemia do COVID19 desesperou alguns empresários, pouco preparados para adaptar seu modelo de negócios às necessidades que passaram a surgir neste novo cenário. Infelizmente, muitos gestores só pensam na solução de um problema quanto este bate à porta. Só que isso pode ser fatal num mercado no qual é importante se destacar da concorrência.

Portanto, agora é o momento para aprender as lições e começar a pensar num jeito diferente de trabalhar, abrindo possibilidades para transformações completas. Mesmo depois que a quarentena acabar, a ordem é não se acomodar. Algumas mudanças de mentalidade, inclusive, podem vir a ser definitivas.

A Verde Ghaia — uma empresa sempre à frente — acredita que este é um momento para dar espaço a ideias inovadoras, que alimentarão o mercado com soluções mais ágeis e eficazes perante aqueles que demandam novos produtos, como o setor privado, por exemplo. E está aberta a desenvolver produtos que possam suprir essa lacuna, oferecendo também a melhor consultoria.

Não espere por uma nova emergência para agir. Adapte-se. O mercado não espera.

Quer saber mais como acelerar sua Gestão? Fale conosco!

Saiba o que são empresas B-Corps!

Você já ouviu falar das empresas B-Corps? Num resumo, só para contextualizarmos, uma empresa B é aquela que tem o desenvolvimento social e ambiental como um de seus principais objetivos. Ela equilibra o lucro com o bem-estar de todos.  

o que são empresas B? B-corps

O conceito foi criado nos Estados Unidos pela B-Lab, uma organização sem fins lucrativos, fundada em 2006 na Pensilvânia; daí o “B” quando nos referimos às empresas B (que também pode ser B de “benéfico”). Em inglês, as empresas B são chamadas B-Corps (uma contração para B Corporations).

Toda empresa classificada como B possui uma certificação reconhecida internacionalmente, a qual atesta que tal organização atende a determinados padrões de transparência, responsabilidade, sustentabilidade e desempenho cujo objetivo é criar valor para a sociedade. A empresa B visa como modelo de negócios o desenvolvimento social e ambiental. Toda empresa certificada pelo Sistema B possui como objetivo solucionar problemas socioambientais.

Atualmente, existem quase mil empresas B distribuídas por trinta países e sessenta setores (sendo que 75 delas estão na América Latina).

No Brasil, o conceito de empresa B é relativamente recente e tem sido liderado pelo Comitê pela Democratização da Informática (CDI) — uma organização sem fins lucrativos que se utiliza da tecnologia para combater a pobreza e estimular o empreendedorismo — numa parceria com o Sistema B (representante do movimento pelas B-Corps na América Latina), e já possuí 46 empresas com o certificado.

Como se tornar uma empresa B?

Muitas empresas e empresários têm focado na transparência em suas relações, voltando seus esforços para redução dos impactos sociais e ambientais. O empresário compreende que possui poder de mercado, e que além de entregar produtos e serviços de qualidade, pode fazer uso desse poder para solucionar problemas ambientais e sociais.

Se você pretende que sua organização faça parte do seleto grupo das empresas B, deve estar ciente do seguinte. A empresa B*:

  • Compromete-se em criar impacto positivo na sociedade e no meio ambiente.
  • Aumenta o dever fiduciário de acionistas e gestores, buscando sempre incluir interesses não financeiros/lucrativos.
  • Compromete-se em operar sob altos padrões de gestão e transparência.
  • Faz parte de uma comunidade interdependente, onde um é responsável por inspirar o outro.

(*Fonte: Sistema B)

Passos para ser uma empresa B

Para se tornar uma empresa B, a organização deve seguir um a série de passos:

  1. Completar a Avaliação de Impacto B, ferramenta gratuita no site Sistema B. Essa avaliação foi desenvolvida para medir e gerir o impacto positivo de sua empresa em seus trabalhadores, comunidade, consumidores e meio ambiente, considerando o impacto das operações no dia a dia e como modelo de negócio.
  2. Completar o questionário de divulgação, o qual considera qualquer impacto negativo significativo, a revisão de antecedentes e um canal público de denúncias ou reclamações. Esse questionário permite que a empresa compartilhe com o B-Lab, de maneira confidencial, qualquer prática sensível, multas ou sanções recebidas pela empresa ou suas filiais.
  3. Passar por uma análise de elegibilidade.
  4. Preparar-se para a etapa de verificação. Nesta fase ocorrerá o fornecimento de uma série de documentos para preparo da auditoria.
  5. Passar pela verificação em si (auditoria da B-Lab).
  6. Passar por uma revisão de antecedentes, a qual inclui uma revisão de registros públicos, fontes de notícias e mecanismos de busca pelo nome da empresa, suas marcas, executivos/fundadores e outros temas relevantes.
  7. Passar por uma revisão presencial. A cada ano, 10% das Empesas B Certificadas são selecionadas aleatoriamente para uma revisão aprofundada e presencial, como parte dos requisitos para a recertificação. Isso é fundamental para manter a credibilidade do selo de Empresa B.
  8. Divulgar publicamente o Relatório de Impacto B no site www.bcorporation.net (não há quebra de confidencialidade dos dados).
  9. Modificar estatutos e/ou figura jurídica da empresa, de acordo com as leis de cada país.
  10. Pagar pelo custo anual da certificação, que varia de acordo com o faturamento anual da empresa.

Prêmio Compliance e empresa B: o que elas têm em comum?

O Prêmio Compliance Brasil de Sustentabilidade é uma premiação de abrangência nacional realizada pela Verde Ghaia. Seu objetivo é celebrar o controle legal e as boas práticas sustentáveis das empresas brasileiras, incentivando a gestão ambiental transparente.

Uma empresa B certamente estará alinhada ao Prêmio Compliance Brasil, visto que o objetivo da premiação é exatamente incentivar as melhores práticas sustentáveis e de compliance, contribuindo para um mundo melhor.

Os vencedores do Prêmio Compliance Brasil certamente têm mais chances de se tornar uma empresa B; e toda empresa certificada como B tem maiores chances de sair vencedora do Prêmio Compliance Brasil. Uma relação na qual todos saem ganhando. E a sociedade ganha muito mais!

Em 2020, o Prêmio Compliance Brasil de Sustentabilidade celebrará sua quinta edição com uma grande festa em São Paulo (SP) no dia 18 de junho, e contará com um apoio valioso, pois será realizado em parceria com o Grupo Voto.

Visite o site: https://premiocompliancebrasil.com.br/

Empresas que buscam por práticas em Compliance

Quando uma empresa se responsabiliza por implementar um sistema de gestão, ela busca ampliar a visão de todo o negócio, incluindo os seus riscos. Portanto, de nada adianta implementar um sistema de gestão, se não houver o envolvimento de todos da organização para que as exigências e o comprometimento com os seus requisitos legais aplicáveis sejam realmente colocados em prática.

Ressalta-se que, um sistema de gestão eficaz circunda várias ferramentas que permitem realizar a avaliação do risco de uma maneira mais clara, possibilitando que a empresa visualize, além da questão ambiental, a questão de qualidade e de saúde e segurança, por exemplo. Dessa forma, o sistema de gestão acaba permitindo que sejam criados padrões de excelência, sem dar oportunidades para margens de erros.

Além disso, é importante que a organização viabilize também um planejamento baseado em estratégias segmentadas nas melhores práticas internacionais, testadas e aprovadas para assim, evitar erros, independentemente do tipo de negócio.

Estar em Compliance ou Ser Compliance?

A explanação acima demonstra que “estar em compliance” não é a mesma coisa que “ser compliance”.  Estar em compliance é algo momentâneo, basta atender as leis. Uma empresa que tem em seu DNA o “ser compliance”, tem em todos os seus procedimentos e na sua própria cultura organizacional a busca pelo “estar em compliance”. Em outras palavras, significa que tudo que é estabelecido dentro da organização é voltado para atender a todos os requisitos legais aplicáveis. Uma empresa que busca isso e faz com que o compliance seja parte do seu DNA, tem por consequência diminuição considerável em sua exposição ao risco.

Esse posicionamento da organização contribui para um ganho maior no quesito segurança jurídica, possibilitando a realização de atividades empresarias mais seguras, a que ela está sujeita.

Estar em Compliance custa caro?

Há um mito no mercado de que investir numa gestão com foco em compliance é caro. Esse mito foi criado por empresas que não enxergam valor agregado na melhoria contínua de seus processos, desejando investir para ganhar em curto prazo. No entanto, investir em um Programa de Compliance para melhorar a Gestão Organizacional, não aumentará os custos, ao contrário, serão propostas as melhorias para que a empresa possa operar com mais segurança, sem correr riscos altissimos que, consequemente, podem levar a falência. Nesses últimos anos, tivemos em Minas Gerais e no Brasil, vários exemplos.

Sendo assim, vale ressaltar que o risco de uma empresa, quando não investe um programa de compliance realmente eficaz, a empresa está propensa a ser autuada. Além disso, as chances de perder mercado, ter sua marca exposta negativamente, pode fazer um estrago muito maior que dinheiro algum será capaz de consertar. Será um trabalho penoso e longo para reconstruir o seu negócio.

Em vista disso, o investimento em um Programa de Compliance que busca melhorias nos processos de toda a organização propõe maior segurança para o crescimento saudável do seu negócio. Por consequência, o investimento em Programas de compliance vai além de se estar de acordo com toda a legislação aplicável.

Neste sentido, podemos afirmar que quando uma empresa busca por um sistema de gestão integrado atrelado a um Programa de Compliance eficiente, certamente essa empresa vai gerar uma economia enorme em todas as etapas de seus processos.

Sugestão de leitura: Compliance na Gestão de Fornecedores

Por que toda a organização deve estar envolvida?

Nos últimos anos, o Brasil presenciou diversos acidentes ocorridos e que reforçam ainda mais o comprometimento das pessoas dentro das organizações, pois são pessoas que fazem a empresa, que constroem a marca.

Por isso, faz-se necessário, mais do que nunca, o comprometimento de todas as partes para que haja o máximo de controle dos riscos da operação, bem como os custos que a operação irá gerar.

Sem nenhuma dúvida é mais fácil prevenir do que remediar. O custo da prevenção é muito menor do que da reparação do dano. E não estamos falando apenas da questão financeira, pois a reparação do dano engloba toda uma esfera cível.

Um exemplo, é o caso do rompimento das barragens em Minas. Independente se a mineradora teve culpa ou não, ela é obrigada a reparar o dano que ela causou. Infelizmente, muitos desses danos são irreversíveis. Ainda mesmo, que esse rompimento tivesse ocorrido por um abalo sísmico, a responsabilidade pela reparação dos danos, ainda seria da mineradora. Por isso, o custo da prevenção acaba sendo sempre menor.

Investir em Compliance é fazer o certo. É assumir as responsabilidades da operação

Importante ressaltar que a economia gerada deve ser vislumbrada a médio e longo prazo. Claro que existe um investimento inicial e real. Os investimentos para estar em compliance atualmente no Brasil são altos, porque as empresas investem energia na gestão, somente após o ocorrido. Certamente, sairá mais caro!

Exemplificando, imagine que você ganhou um carro zero K, mas nunca fez uma manutenção e nunca consertou aquela batinha. Enquanto isso, seu vizinho, fez todas as manutenções necessárias e sempre consertava aquelas batinhas nas pilatras do estacionamento. Ambos, resolvem vender o carro, mas para vender por um bom preço, precisam deixar o carro em um bom estado de funcionamento. O preço que o mecânico irá cobrar para um e outro será bem diferente. E o preço de venda, também. Esse exemplo é apenas para demonstrar que deixar para “consertar” algo de útlima hora, não é fazer econômia. O investimento é muito maior, fazendo com que empresas desistam de investir em Programas de gestão com foco em Compliance!

Até porque, reparar o dano é muito mais caro do que agir preventivamente. Embora, agir preventivamente a curto prazo, possa ser um investimento grande para a organização. E, em alguns outros casos, há empresas que não conseguem enxergar o equilíbrio entre o primeiro investimento versus o investimento para a reparação do dano. Há ainda casos em que acontece o inverso: a empresa tem que reparar um dano, arcando com um gasto fenomenal, e após o ocorrido, ela procura atitudes preventivas para evitar que o dano volte a acontecer.

Por isso, o DNA da empresa que busca “ser compliance” demanda um investimento inicial alto, mas gera economia muito grande a médio e longo prazo.

LIA: inteligência Artifical para uma gestão com foco em Compliance

Com essa nova ferramenta, LIA – Legislação por inteligência Artificial – desenvolvida pela Verde Ghaia, busca-se correlacionar o máximo possível das obrigações com as multas que estão atreladas ao não cumprimento delas, possibilitando que as organizações tenham visão dos custos de investimento e custos por danos causados.

Quando se contrapõe os valores das multas, comparando-os com os valores gastos de investimento, fica visível de imediato, a economia gerada pela organização ao optar pela prevenção.

Portanto, sabendo da importância de existir uma integração entre certificação ISO e compliance e todos os benefícios e vantagens que ela traz para uma organização, vem a pergunta: como é possível fazer com que a certificação ISO trabalhe junto com o compliance?

Apresentação da LIA – Legislação de Inteligência Artificial

Compliance e Certificação ISO: união para uma gestão eficaz

A área de certificação de sistema de gestão é focada em alguns temas. Assim, é essencial que exista uma integração entre as áreas, como o de meio ambiente, qualidade e segurança, por exemplo, com o jurídico interno das organizações, ou com o jurídico externo – caso seja um escritório de advocacia, a fim de que se tenha um alinhamento e um diálogo para que os procedimentos sejam voltados para o compliance de toda a empresa.

Se você tem uma forte integração entre essas diferentes áreas, é possível implementar procedimentos para atendimento a requisitos legais de forma mais robusta, minimizando e otimizando o trabalho de cada área. Infelizmente hoje ainda não vemos acontecer muito essa integração, mas estamos caminhando para esse processo.

Já é possível verificar grandes organizações que iniciam os processos de monitoramento de leis específicas e se conectam com o jurídico interno e a área de compliance da organização. E, é esse movimento que faz com que a empresa esteja em compliance – e seja compliance –, e assim ela se torna capaz de atender de forma abrangente todos os temas aplicáveis à organização.

Como identificar todos os requisitos da sua organização?

Temos que pensar que, quando temos identificados todos os requisitos em uma planilha, é mais fácil direcionar as responsabilidades. Por exemplo: quando estamos verificando um requisito, qual área é responsável por ele? Quando se tem os requisitos todos classificados, fica mais fácil de entender como a empresa trabalha, quais processos são realizados e quem são seus responsáveis. Sabendo quem são seus responsáveis, fica mais fácil verificar se estão sendo cumpridos ou não e o porquê não estaria sendo cumprido.

E é isso que a Verde Ghaia faz!

Através do SOGI ela direciona para cada área quais são as atribuições e os responsáveis por cada processo, para que nada possa escapar de seu sistema de gestão. Assim você pode garantir a certificação ISO ou tornar muito mais fácil a possibilidade de estar em compliance. E com a LIA a Verde Ghaia permite que os gestores das diferentes áreas de uma organização possam enxergar mais valor ainda no trabalho que é realizado diariamente.

Então, vamos fazer o que é o certo? Converse com a nossa equipe de Gestão de Riscos e Compliance. Certifique-se de que o seu negócio tem muito a prosperar com base em dados e informações seguras e reais de todos os seus processos operacionais.

Agende uma conversa com a nossa Equipe!


Fazer o que é o certo. Sua empresa se preocupa com isso?

Hoje existem diversas estratégias que definem o que é o certo, garantindo que sua organização se preocupa em seguir as diretrizes e requisitos exigidos, e ainda dá a certeza para o mercado e seus consumidores que você está fazendo o que é preciso.

Tenha um Sistema de Gestão eficiente

A certificação nas normas ISO é uma delas. Esta certificação é um processo no qual uma empresa é avaliada para ver se atende aos requisitos das normas correspondentes ao seu nicho de atuação. Ao obter a certificação da norma ISO, você atesta que oferece garantia e legitimidade a seu negócio segundo padrões internacionais.

Tecnicamente falando, possuir a certificação da norma ISO na sua empresa garante a conformidade, qualidade e segurança de seus produtos ou serviços de acordo com as regras de seu segmento, assegurando a eles eficiência e eficácia e também solidez para sua organização, gerando maior confiança na relação com o consumidor final e com o próprio mercado.

Significa igualmente que você irá melhorar os sistemas de gestão de sua organização, reduzindo riscos e evitando muitas perdas nos processos produtivos. Dessa maneira, você ganha competitividade em seu nicho de mercado em conformidade às regras técnicas.

Certificação ISO: demonstre compromisso com a Qualidade

É importante ressaltar que há várias vantagens de se ter um sistema de gestão eficiente. Uma delas é quando a eficiência do SG contribui na conquista da certificação. Uma vez, que a empresa possui a certificação ISO, significa que você passa a representar aquilo, o que você realmente oferece como produto ou serviços. Você agrega valor à sua marca, ganha boa reputação e também facilita a introdução de novos produtos no mercado.

Essa agregação de valor demonstra um compromisso com a qualidade do que você oferece, podendo transformar toda a cultura da sua organização e estimulando seus próprios colaboradores a buscar constantemente a melhoria contínua.

A certificação ISO também permite medir mais facilmente o desenvolvimento da sua empresa e assim melhorar a sua organização, os seus produtos ou os seus serviços aos olhos de seus clientes.

Entretanto, apenas obter a certificação da norma ISO não assegura todas estas vantagens. Muitas vezes, quando as empresas conseguem o certificado, acabam na verdade perdendo valor, simplesmente por não saber utilizar todos esses benefícios perante o mercado globalizado. Até porque hoje o mercado está se distanciando um pouco dessa questão de selo, seja ISO 9001, ISSO 14001 ou qualquer que seja.

Em 2015 tivemos uma revisão nas certificações ISO, justamente tendo esse foco, fazendo a norma passar a ter um papel mais direcionado para as tomadas de decisão. Por isso, a certificação ISO passou a ser considerada uma ferramenta estratégica do negócio.

Certificado ISO: não é mais importante do que seu Sistema de Gestão

Essa mudança aconteceu porque as empresas, nos últimos anos, passaram a descobrir que o selo não é mais importante que a gestão em si. Na verdade, é a gestão que faz o negócio ser sustentável, no sentido de que, caso ele tenha algum desvio ambiental por exemplo, esse desvio não se tornará uma conta impagável que leva ao fechamento do negócio. Grandes desastres que aconteceram recentemente são um ótimo exemplo disso na prática.

Pense no caso de Brumadinho. O desastre que aconteceu na Mina Córrego do Feijão é uma conta impagável. Independentemente do tamanho ou da força econômica da Vale, ela nunca vai conseguir pagar por todos os danos socioambientais advindos do rompimento da barragem. Os danos à vida humana ocorridos ali são incalculáveis, por mais que existam análises de risco que calculem o “preço de uma vida humana” em caso de desastres. Uma vida jamais terá um preço.

Um outro exemplo é Mariana. Também relacionado com o rompimento de uma barragem, ali aconteceram desastres ambientais que causaram impactos não só em Minas Gerais, mas também no Espírito Santo porque contaminaram rio, solo, destruíram fauna e flora chegando até ao Oceano Atlântico.  As consequências ambientais dessa catástrofe foram tão severas que vai levar anos para entender os reais efeitos de tudo o que ocorreu e implementar ações com soluções efetivas.

Quando esses impactos negativos sobre o meio ambiente e sobre vidas humanas são colocados em uma balança, a empresa (ou as empresas) envolvidas passam a ter um peso difícil de carregar.  Nesses casos, estamos falando da marca de uma organização, da sua imagem e da sua reputação perante o mercado, os consumidores e a sociedade como um todo, de multas, sanções e penalidades a que ela estará sujeita pelo impacto causado.

Tripé da Sustentabilidade

Todos esses pontos compõem o tripé da sustentabilidade. E hoje se fala tanto em ser sustentável que não é mais possível fingir que não se conhece o termo ou que ele não importante para uma empresa. Para todas as organizações, seja de qualquer porte ou segmento, deve ser analisada e avaliada a questão econômica, a questão ambiental e a questão social. Se qualquer um desses pontos estiver enfraquecidos, mais cedo ou mais tarde (e não será tão tarde assim) você quebra o seu negócio.

Intimamente ligado a esta ideia de certificação ISO e sustentabilidade está o compliance. Compliance é um termo que diz respeito ao cumprimento das leis, normas e regulamentos, tanto internos quanto externos, que regem uma organização, prezando pela cultura da ética e da integridade no relacionamento entre os colaboradores, gestores e stakeholders. Além de cumprir com normas legais, políticas e diretrizes, compliance também diz respeito a prevenir, detectar e remediar qualquer desvio ou inconformidade que possa ocorrer com uma organização.

Por que estar em Compliance?

Estar em compliance assegura que a empresa está cumprindo totalmente todas as imposições dos órgãos de regulamentação, dentro de todos os padrões exigidos de seu segmento. É imprescindível esse atendimento às leis, normas e requisitos aplicáveis à organização, porque processos com elevado nível de compliance acabam por ter resultados mais satisfatórios. Além disso, resultam em uma vantagem competitiva ante os concorrentes, bem como facilitam o acesso a linhas de crédito, valorizam a organização da empresa e fornecem melhor retorno dos investimentos aplicados.

Por outro lado, não estar em compliance traz sérios riscos para sua organização, como por exemplo sanções legais, perda de reputação, incluindo valor da marca e valor de mercado, e perdas financeiras, variando conforme a gravidade do que foi infringido, podendo ir de pagamento de multas até prejuízos por paralisação da atividade ou em casos mais graves, fechamento da empresa e falência.

Quer saber mais sobre Compliance e Sustentabilidade? Fale com um dos nossos especialistas em Gestão de Risco e Compliance!

O que é Programa de Compliance?

O que é Programa de Compliance? Saiba o que é, entenda seu contexto e saiba como implementá-lo! Um programa de compliance procura o atendimento de outras normas, como as tributárias, trabalhistas, contábeis, de antissuborno e de anticorrupção, e mais todo um universo de obrigações que estão atreladas ao funcionamento da empresa.

Dessa forma, quando uma organização atende por exemplo os requisitos de meio ambiente para a implementação de uma certificação ISO, automaticamente ela está atendendo um item específico de seu programa de compliance.

Compliance a Certificação ISO: é possível correlacioná-las?

É nesse momento que compliance e certificação ISO se correlacionam. Porém, quando estamos falando do atendimento a um item do programa do sistema de gestão em si, acaba dando a entender que é mais um cumprimento de mais um item, e não a questão cultural de acreditar que a empresa deve atender todas as normas que compõe esse universo que o programa de compliance exige.

Para mudar esse pensamento, basta compreender que tudo está interligado, não sendo possível dizer que existe uma certificação ISO sem estar em compliance. Ou seja, implantar um sistema de gestão é estar em compliance por utilizar diretrizes que foram testadas e que são replicadas no mundo inteiro.

Quando falamos em compliance, não estamos falando somente de um software de gestão, como o SOGI da Verde Ghaia. Na verdade, estamos falando da própria gestão em si, cujas normas internacionais foram criadas para ajudar/orientar as empresas a seguirem um caminho limpo, ético, transparente e íntegro, em todos os sentidos.

Resumindo, podemos dizer que o programa de compliance, de um modo claro, é macro. E o sistema de gestão é focado em trabalhar áreas específicas do programa de compliance.

Compliance e Sistema de Gestão Integrada

Quando uma empresa tem um sistema de gestão integrada (SGI), pressupõe-se que nessa organização existam já diversas áreas internas. Portanto, muito do que já existe nessas áreas pode ser aproveitado no programa de compliance.

Para ilustrar tudo o que falamos até agora. Vamos imaginar duas situações. Na primeira uma organização decidiu que pretende estruturar um programa de compliance dentro da empresa. Se ela já possuir um sistema de gestão, esse trabalho já começa adiantado, porque muitos dos requisitos do programa de compliance já se encontram dentro do Sistema de Gestão Integrado. Por exemplo, se nessa empresa já existe uma implementação da gestão de qualidade (ISO 9001) e de meio ambiente (ISO 14001), isso elimina etapas a serem cumpridas, contribuindo já com o trabalho do setor de compliance.

E essa contribuição não é só no atendimento em si, mas também na checagem desse atendimento por ter um programa de gestão (no caso qualidade e meio ambiente) já em funcionamento, pressupondo que já exista um diagnóstico de aplicação das normas, permitindo assim acompanhar o status delas através do programa de auditoria, inserindo a empresa dentro de um ciclo de PDCA e de melhoria contínua, tudo funcionando perfeitamente.

Agora pensando numa segunda situação, no caso de uma empresa que não possua a certificação, mas já tenha implementado o programa de compliance. Caso o fornecedor exija que haja, a partir de agora, a ISO 14001 para continuar a atendê-los, o processo fica muito mais fácil e rápido, porque a área de compliance pode comunicar para essa nova área de meio ambiente quais os requisitos já estão implementados.

Vantagens e Benefícios para sua empresa: ISO e Compliance

E quais os benefícios e as vantagens de trabalhar com a certificação ISO e compliance de forma integrada em sua empresa?

Um dos principais é a diminuição da exposição ao risco. Existe uma exposição muito grande quando uma empresa está na mídia relacionada à corrupção ou a algum desastre ambiental, por exemplo. E isso é muito prejudicial em termos financeiros e na questão de reputação da marca e da imagem da empresa.

Tivemos recentemente alguns casos muito emblemáticos aqui no Brasil, como o da Odebrecht – uma grande organização multinacional – que foi exposta a um processo como a Lava Jato, e hoje encontra-se em recuperação judicial, com um pedido de falência. Uma empresa bilionária que, por estar nesse processo, perdeu muita credibilidade no mercado.

SOGI GRC – Governança, Risco e Compliance

É fundamental que os gestores compreendam que o risco é intrínseco a qualquer atividade, independentemente de seu ramo ou tamanho, por isso o gerenciamento de riscos é essencial em toda organização.

Sempre que uma empresa monitora seus riscos, ela cria um cenário mais favorável para si, pois consegue prever boa parte dos problemas e também identificar os melhores momentos para investir ou alavancar seus negócios.

Entenda melhor como funciona o Módulo GRC no gerenciamento dos Requisitos Legais Aplicáveis. Leia o e-book sobre o Módulo do SOGI – Governança, Risco e Compliance!


Como automatizar o Controle de Licenças e Condicionantes?

Grande parte das empresas ainda controlam suas licenças e condicionantes de maneira simplista e ultrapassada, utilizando planilhas. Contudo, esse tipo de ferramenta, embora pareça facilitadora, pode ser muito mais problemática na hora de gerenciar os dados, já que é totalmente dependente do ser humano responsável por operá-la.

Conforme a planilha vai sendo alimentada, aumentam-se as chances de se perder dados em meio a tantas informações. Além disso, uma planilha está sujeita a travamentos, bem como seus dados podem ser perdidos, alterados e modificados, e que podem arruinar todo o histórico já registrado.

Controle todas as suas Licenças e Condicionantes

Praticamente todas as licenças de uma empresa possuem data de validade; e muitas delas necessitam de renovação constante. Caso a gestão não esteja atenta ou algum documento não seja atualizado, as penalidades certamente vão aparecer — e podem incluir até mesmo o embargo das atividades da organização. As chances de esquecimento de renovações e protocolos pode se tornar oficialmente uma não conformidade legal, obrigando assim ao direcionamento de recursos financeiros para algo que poderia ser evitado (multas altíssimas, por exemplo).

Já parou para pensar na inconveniência de tomar conta de tantos requisitos simultaneamente? Como não se perder? Como garantir o andamento de procedimentos que carecem de antecedência para serem implementados?

Vamos pensar num caso prático

Digamos que um dos setores em sua indústria opere em período integral. Por causa disso, a área necessita apresentar sinalizadores noturnos, aqueles vermelhos e fosforescentes, utilizados em obras noturnas. Acontece que não é possível comprar determinada quantidade de sinalizadores de forma repentina. Primeiro porque, a aquisição precisa ser aprovada pela gestão, para só então, ser repassada ao setor de compras. Além disso, existe o prazo para recebimento do material, bem como a inspeção e instalação adequada.

Já calculou todos os trâmites que envolvem esse único processo? E quando a empresa precisa lidar com dezenas (ou até centenas) de processos semelhantes? E aqueles casos, em que se faz necessário trazer um profissional externo, para realizar um determinado trabalho?

É por isso, que usar planilhas como forma de controlar seus dados, não é uma boa opção para agilizar seu gerenciamento. O volume de informações pode crescer a ponto de se tornar impossível de se acompanhar, por melhor que seja sua equipe de planejamento.

Por isso, o ideal é ter um software que permita a personalização de todas as necessidades de sua empresa, de forma que você possa acompanhar com precisão todas as licenças pertinentes.

Você precisa de um software completo, que não apenas avise de forma sistemática e periódica sobre todas as licenças que estão para expirar, mas também, que seja capaz de informar sobre todos os procedimentos necessários para se manter ou não perder determinados prazos ou certificações. E assim, como o exemplo dos sinalizadores noturnos, tudo deve ser feito com a antecedência e planejamento, levando-se em conta todas as burocracias de cada etapa. Mas, para planejar é preciso ter dados e informações atualizadas, caso contrário, seu planejamento pode não dar certo!

SOGI Licenças: controle automatizado

Com o Módulo Licenças do SOGI, da Verde Ghaia, sua empresa poderá controlar o prazo de vencimento de todos os seus documentos de forma qualitativa, e não apenas quantitativa, permitindo o acompanhamento de cada trâmite necessário para cumprir requisitos e não perder nenhum prazo.

Inclusive, ele é um excelente recurso quando a empresa possui diversas unidades espalhadas por todo o território brasileiro, pois permite a visualização das unidades, através de um mapa, contribuindo no gerenciamento de todas elas. Outro benefício do Módulo Licenças é o envio de alertas para os e-mails que você cadastrar, os quais vão ajudar a lembrar a proximidade da data de revalidação das licenças e também os procedimentos que devem ser tomados para que todos os requisitos legais sejam cumpridos.

O mais interessante deste recurso é que enquanto o responsável não atualizar os dados da nova licença, ele continuará a receber mensagens de alerta.

E se o módulo estiver sempre atualizado, é possível verificar de forma bastante visual as licenças e condicionantes que estão sendo atendidas, as que se encontram dentro do prazo ou as que estão prestes a expirar, mantendo todas as informações em um só lugar, a fim de facilitar o monitoramento, além de manter um histórico para melhor rastreabilidade.

Para quem é recomendado o Módulo Licenças?

O Módulo Licenças é essencial para organizações que possuem gestão corporativa e/ou são regidas por diferentes licenças e condicionantes, tanto próprias quanto de fornecedores.

É ideal também para empresas que exercem atividades que envolvem muitos impactos ambientais, os quais muitas vezes são totalmente dependentes de licenciamento.  Com o Módulo Licenças sua empresa poderá realizar o planejamento e monitoramento de tempo e recursos financeiros/humanos, evitando ser penalizada devido ao não cumprimento de conformidades legais, e também contará com ferramentas eficazes para manter toda a documentação de licenciamento devidamente organizada.

Lembrando que, a Verde Ghaia também fornece consultoria jurídica. Você conta com uma equipe especializada para ajudá-lo na sua gestão para que você fique por dentro de todas as mudanças, alterações e/ou modificações nas leis brasileiras.

Saiba o que a sua empresa precisa cumprir! Tenha sempre as interpretações jurídicas voltadas ao seu ramo de atividade, evitando cair em “pegadinhas jurídicas” que possam impedir completamente a renovação de uma licença.

Conheça mais do Módulo Licenças do SOGI e faça o controle de licenças com segurança!

Como Outsourcing LIRA ajuda na Análise de Risco?

O Outsourcing e a Análise de Risco é um trabalho realizado pela área Jurídica da Verde Ghaia em conjunto com a área de Compliance Ambiental e Riscos.

As duas áreas tem como responsabilidade ajudar as organizações a organizarem seus processos de modo que seja possível identificar seus riscos e oportunidades, bem como avaliar seus procedimentos internos e externos para tomadas de decisão assertiva, permitindo crescimento saudável da sua organização.

O trabalho se inicia com a definição de um cronograma com duração de 12 meses pré-estabelecido entre o cliente e a Verde Ghaia. Nas primeiras etapas definiremos em conjunto:

(i) temas de análise de normas mensais;

(ii) datas de envio pelo cliente de documentos que possibilitem a identificação de evidências, que suprem ou não as respostas para as obrigações aplicáveis à sua empresa, de responsáveis pelos planos de ação com contato (telefone/e-mail);

(iii) data de uma reunião mensal via Teams ou Skype com toda a equipe para apresentação dos resultados mensais dessa auditoria à distância e também para sanar quaisquer dúvidas que venham a surgir durante o processo.

Requisitos Legais – Procedimentos Jurídicos

Na outra etapa a área Jurídica se faz mais presente, ajudando a:

(i) revisar a aplicabilidade dos REQUISITOS LEGAIS e OBRIGAÇÕES, removendo aqueles que não são pertinentes;

(ii) realizará a análise de documentos enviados pelo cliente;

(iii) preenchendo de informações no LIRA deste com as evidências correspondentes;

(iv) criando Planos de Ação corretivos com os responsáveis e prazos para as obrigações legais identificadas como não conformes.

Ao findar o preenchimento, serão enviadas as não conformidades para o Compliance Ambiental e Riscos que fará uma análise individual de cada obrigação não conforme, identificando as penalidades aplicáveis no ordenamento jurídico àquele quesito.

Depois desse levantamento de dados, a área de Compliance Ambiental e Riscos, elabora uma matriz de risco fundada em análise de probabilidade e severidade, chegando então em um peso de priorização que poderá ser utilizado pela alta direção na tomada de decisão para tratamento das não conformidade.

Outsourcing LIRA e Análise de Risco não é Auditoria

Diferentemente de uma auditoria, as informações de conformidade e não conformidade das obrigações legais, enviadas a Verde Ghaia, serão presumidas como verdadeiras e inseridas na LIRA de acordo com o formato recebido. Não está inclusa a avaliação das obrigações inerentes às NBR’s e outros requisitos subscritos.

A Verde Ghaia disponibiliza também uma plataforma online – Consultoria Online para que o cliente possa acessar em qualquer local que estiver para tirar as dúvidas que ocorrerem durante o processo.

Outsourcing Lira e Análise de Risco

O Outsourcing Lira e a Análise de Risco supre com eficiência a auditoria in loco que não poderá ser realizada, tendo em vista a pandemia.

Todo o trabalho desenvolvido para o cliente é feito de forma personalizada pela equipe Verde Ghaia, através de profissionais capacitados e com experiência para orientar o cliente quanto as melhorias cabíveis para o negócio.

Tenha a certeza de que juntos, nós chegaremos a um resultado fantástico! Você perceberá, que é possível identificar as suas não conformidades e priorizá-las para tratamento adequado e de forma consciente diante dos riscos identificados.

Caso o cliente ainda precise de auditoria in loco, podemos reorganizar o cronograma conforme a sua necessidade. Para isso, a Equipe Verde Ghaia (Risco e Jurídica) irá avaliar os documentos num primeiro momento, para que em seguida possa marcar uma auditoria externa.

As auditorias externas estão sendo agendadas para o segundo semestre de 2020, devido ao enfrentamento do Coronavírus. Contudo, orientamos aos clientes que agendem previamente suas auditorias, evitando problemas futuros, visto que nossas agendas estão ficando sobrecarregadas.

Ana França Rios | Departamento de Compliance Ambiental e Riscos

MÓDULO OUTSOURCING
Outsourcing LIRA – Um jeito fácil de manter seus Requisitos Legais sempre atualizados.

Como avaliar os riscos do negócio?

Usando novamente o exemplo de Brumadinho: várias vidas foram perdidas, destruindo uma grande quantidade de famílias – tanto em termos sociais quanto econômicos. Também foi destruída uma cidade inteira, causando impactos socioambientais negativos em várias outras. Então, quando falamos em compliance não estamos apenas falando do cumprimento das obrigações legais. Falar em compliance é falar sobre fazer o certo. É respeitar as comunidades do entorno da organização e também prezar pela segurança dos funcionários, ao mesmo tempo em que há uma preocupação em preservar o meio ambiente.

Por ela não ter cumprido com tudo o que era exigência legal e por isso ter ocorrido o rompimento da barragem, ela foi obrigada a pagar indenizações emergenciais, trabalhistas e também às famílias das vítimas, a oferecer atendimentos médicos e psicossociais, trabalhar em obras emergenciais para tentar recuperar o que foi destruído pelo rio de rejeitos, realizar atividades de recuperação ambiental e implementar mais ações de segurança em relação às outras barragens que ela possui, para evitar novos desastres.

Além de todo o prejuízo financeiro decorrente dessas ações, ela ainda viu a produção de minério de ferro diminuir, manchou sua reputação em todo o mundo e perdeu valor de mercado. Estima-se que dia 25/01/2019, dia do rompimento da barragem, a Vale valia R$ 287,8 bilhões. Quinze dias depois, passou para R$ 215,4 bilhões. Ou seja, perdeu R$ 72,4 bilhões. Um ano depois boa parte já foi recuperada, e hoje o valor da companhia está em R$ 275,9 bilhões.

Claro que você não precisa ser uma Vale para sentir os prejuízos em bilhões. Importante lembrar que as consequências de não estar em compliance são proporcionais à atividade desempenhada pela organização e o seu porte. E a única certeza que existe é que, se você não cumprir os requisitos exigidos e o arcabouço legal que rege a sua organização, você vai sofrer as consequências negativas de não estar em compliance.

Como avaliar os Riscos do Negócio com mais segurança e assertividade?

Como evitar esse cenário negativo e ainda gerar crescimento para sua empresa, um crescimento sustentável e sólido ao longo do tempo, que possa reduzir os riscos e obter melhores resultados?

A resposta está no compliance integrado a um sistema de certificação ISO. Os motivos para isso, é que pudemos observar ao longo do tempo, que as empresas que contam com um processo de certificação implementado possuem mais recursos para estarem em compliance em relação aos requisitos legais aplicados. Ou seja, existe uma nítida correlação entre o processo de certificação e estar em compliance, e vamos explicar o porquê disso.

É importante ter um sistema de gestão na sua empresa porque um de seus itens é atender os requisitos legais que são obrigatórios para a atividade desempenhada. Falar em sistemas de gestão significa também estar em conformidade com as normas e com todos os requisitos aplicados à empresa, em qualquer área que for, seja ela ambiental, saúde e segurança, qualidade, responsabilidade social, entre outras.

A importância do comprometimento de todos na organização

Todas essas áreas, quando são mapeadas e identificadas, é criado um comprometimento da empresa com elas, e então podemos dizer que a organização está em busca do compliance. E o sistema de gestão contribui exatamente para isso, obrigando os gestores a estarem em conformidade com a legislação específica de cada área.

O princípio maior que rege o compliance é fazer o que é o certo. Então, se existem regras a serem cumpridas e essas regras são transformadas em leis, ou em algum documento internacional como a ISO, as organizações devem cumpri-las.

E mesmo que um gestor busque a certificação ISO sem o objetivo de estar em compliance, ele vai acabar indiretamente estando em compliance de qualquer forma, porque uma vez que existe, dentro do programa de certificação, um requisito ou um item, que exige da empresa um atendimento aos requisitos legais, automaticamente ele é direcionado para estar em compliance.

Por isso, fazer hoje a implementação de um sistema de gestão – como por exemplo o Sistema de Gestão da Qualidade da ISO 9001 – significa estar em compliance, porque na busca pelo cumprimento das exigências de uma norma ISO, a empresa está fazendo o que é o certo, cumprindo o que é exigido.  

Relação do Compliance e Integridade com a aplicação dos Requisitos ISO

Além disso, essa relação entre compliance e certificação nas normas ISO é tão importante porque podemos notar que dentro do programa de certificação, além do compliance, existem outros itens que compõem o programa de gestão, não apenas o atendimento a requisitos legais e outros requisitos.

E não são apenas normas de meio ambiente, saúde e segurança, responsabilidade social ou validade, que são normas que são atendidas especificadamente para as ISOs, correlacionadas ao programa em si.

Fale conosco e saiba como avaliar seus riscos com assertividade e segurança através do SOGI. Estamos à disposição para ajudá-lo!

Blog SOGI